Psycl0n

Psycl0n
Psypsypsy.jpg
ApelidosPsytoré, Psy, Batoré
Nascimento09/08/1985 (36 anos)
Brasília
Residência- Presídio Federal de Campo Grande - MS[1]
- Condomínio Ideale Residencial, Campo Comprido, Curitiba - PR (em liberdade)
Conhecido(a) por- Criação de vários sites jorges
- Execução de ameaças e jorgices
- Criação do Dogolachan
- Rivalidade com Emerson
Altura1,63 m
Psypreso124.png
Eu moro em um buraco no terceiro mundo. Ninguém nunca vai me pegar. Você não pode fazer nada em relação a isso. Posso dizer aos meus amigos para te matarem e ninguém vai se importar. A Polícia Federal do Brasil é apenas um monte de negros estúpidos que não vão me pegar já que estou usando VPNs.

Marcelo Valle Silveira Mello[2] (nascido em Brasília, em 9 de agosto de 1985),[2] também conhecido como Psycl0n, Psytoré, Batoré ou apenas Psy, além de vários outros nomes e alcunhas, é um atual presidiário, jorge, hacker, ex-analista informático e defensor da alt right (direita alternativa) conhecido por seus fãs e haters e por curiosos. Uma das figuras mais conhecidas dos chans brasileiros, Psy foi um pioneiro da jorgice no Brasil e sempre gostou de fazer ameaças, escrever textos de ódio e atrelar tudo a seus inimigos, acreditando que jamais seria devidamente punido por causa da lei branda e conivente do Brasil.

Psy começou a ganhar notoriedade no extinto Orkut em 2005, ao direcionar ataques e ameaças a esquerdistas, mulheres e negros. Em 2009, ganhou fama ao se tornar o primeiro brasileiro a ser condenado pela Justiça por racismo na internet, mas pagou a fiança e não chegou a ir para a cadeia. Em 2012, voltou à fama ao lado de Emerson Eduardo Rodrigues, quando ambos foram presos na Operação Intolerância da Polícia Federal por criarem o blog Silvio Koerich, que continha postagens extremamente ofensivas contra mulheres, gays, negros, entre outros. Essa prisão causou uma briga vitalícia entre os dois, tornando-os arqui-inimigos após a soltura em 2013.

Durante suas várias idas e vindas da internet, Psy já viajou para o exterior e cometeu muitas, mas muitas jorgices contra vários de seus desafetos, incluindo Emerson, Lola Aronovich e dezenas de outras pessoas (algumas de passado duvidoso). Conseguiu se tornar odiado pelos chans brasileiros e ao final de 2013 criou um para que retardados pudessem babar seu ovo por ser jorge ao extremo.[3]

Em 11 de maio de 2018, foi preso novamente por conta de suas inúmeras jorgices, o que contribuiu para sua condenação a 41 anos na cadeia no final do mesmo ano, sem possibilidade de recorrer a decisão. Continuou recorrendo mesmo assim. No dia 14 de abril de 2020, foi divulgado nos chans o alvará emitido três dias antes (11 de abril) autorizando sua soltura após ter pago fiança de 10 mil reais, o que mais tarde se confirmou como falso.

Nomes e alcunhas

Além de seus apelidos mais usados: Psycl0n, Psy e mais antigamente Ash Ketchum,[nota 1] Marcelo também já foi conhecido pelos seus colegas como Marcelo maluco, Madureira e Tonho, e é por vezes chamado pelos anões de Batoré, Psytoré ou Golo-Golo.[nota 2]

Também usava os nomes de hacker KetchumA,[nota 1] Vulgo Candango,[nota 3] Judetesco, Br0k3d - o justiceiro e Gorpo.

Como bom jorge, usava o nickname de ElliotRodger no Dogolachan, e BrazilianElliotRodger no Reddit.

Biografia

Antes de 2005

 
Marcelo quando criança. Cute-Cute.

Marcelo Valle Silveira Mello nasceu em Brasília, Distrito Federal, em 9 de agosto de 1985 e é filho de Rosita Moreira Valle, servidora pública do Serviço Federal de Processamento de Dados (hoje afastada do emprego por doença psiquiátrica), e Luiz Fernando Silveira Mello, que cometeu suicídio quando Marcelo era criança. Foi criado pela avó materna e também morou na casa dela durante a vida universitária.[4]

Passou infância e juventude em Brasília, onde estudou e fazia tratamento psicológico. Marcelo teria sofrido bullying constante na infância, tanto por agressões físicas quanto por insultos. Uma professora, inclusive, o teria apelidado de "Marcelo Madureira", pela sua semelhança com o personagem do Casseta e Planeta de mesmo nome, daí um de seus apelidos na Internet. Quando ele foi preso, em 2012, surgiu uma página no Facebook de pessoas que estudaram com ele. Afirmaram que ele teria sim sofrido bullying, que era humilhado pelas garotas por causa da aparência e que os garotos tinham o costume de puxar sua cueca e o agredir.[5][6] Segundo ele mesmo, ele só teve um amigo na escola, que era um gordinho que gostava de xingar todas as garotas da escola e arrumar confusão com as professoras. Ele também diz que é diagnosticado com esquizofrenia, toma remédios controlados e gosta de bater a cabeça contra a parede quando está com raiva.

Segundo um ex-colega que estudou com Marcelo da 4ª à 8ª série, Marcelo era considerado "nerd". Enquanto todos da turma se achavam adultos, Marcelo era quieto e pouco conversava. Ele também teria sofrido tanto bullying que costumava ir ao banheiro chorar e no recreio ficava sentado sozinho jogando Pokémon no Game Boy.

Aos 16 anos (2001 a 2002), ele participava do grupo Hax0rs Lab fazendo defacement.[7][8]

A vida sem sobressaltos financeiros lhe permitiu uma viagem ao Japão, país pelo qual era aficionado. Ingressou na Universidade de Brasília após passar no vestibular para o curso de Letras-Japonês em 2005, o qual largou após um semestre, e na Universidade Católica de Brasília, em 2006, onde se formou em Ciência da Computação.[9]

 
Briga entre Psytore e Rafael Ayan Ferreira

Além disso, Marcelo participou, como testemunha de acusação, convidado pela Reitoria da Universidade de Brasília, de processos disciplinares de expulsão de alunos que participaram de movimentos sociais. Os movimentos sociais sempre incomodaram a Reitoria da Universidade de Brasília, que já foi processada mais de uma vez pelo Ministério Público Federal.[10]

Em um desses processos Marcelo saiu na porrada com o aluno Rafael Ayan Ferreira.

Segundo Rafael Ayan, ele estava andando no gramado entre o ICC Norte e a Biblioteca da UnB quando foi surpreendido por um Fiat Uno da segurança da UnB, que entrou no gramado, deu um cavalo de pau na sua frente e lhe deu voz de prisão. Três seguranças armados com cassetetes colocaram-o no carro, forçadamente, e levaram-o para o posto policial da UnB. Lá ficou aguardando o Marcelo Valle Silveira Mello chegar. Passaram-se dois minutos e ele chegou, no banco dianteiro de uma Kombi, somente com um motorista. Foi quando Marcelo agrediu com socos e pontapés o aluno Rafael Ayan Ferreira e os dois foram levados para uma delegacia de polícia.[10]

2005-09: Ataques racistas na internet e condenação judicial

 
Marcelo no metrô por volta de 2005 ou depois.
 
Termo de Declarações
Apenas mais um maluco

—Descrição feita por Marcelo em seu perfil

A primeira aparição online de Marcelo que se tem notícia é de 2005, aos seus 19 ou 20 anos. Como era estudante de computação, decidiu que iria usar a internet a seu favor para cometer crimes. Criou uma conta no site de relacionamentos Orkut e, para além de tecer comentários racistas, ameaçou falsamente por diversas vezes os estudantes da UNB, incluindo com bombas e usando perfis falsos dos desafetos para acabam com a reputação deles.[11] Seus comentários e ameaças foram em retaliação por ser provocado e espancado pelos colegas (o que hoje é conhecido como bullying) na faculdade onde estudou.[12] Passou a fazer comentários considerados racistas no Orkut contra a política de cotas para negros universitários, entre outras coisas mirabolantes ou absurdas (coisas essas que, nos termos atuais, seriam consideradas jorgices).

Além de usar a conta off (com o seu nome verdadeiro), ele também tinha uma conta fake, chamada Br0k3d - o justiceiro. Ele dizia ter uma botnet com cerca de 1000 computadores, que usou para derrubar sites como flogão e fotolog, e planejava reativar o worm para futuramente derrubar a UNB.[13] Por volta de 2006, após ser chutado da SDD, comunidade de trollagens do Izzy Nobre, por ser muito extremo, mudou de pseudônimo para Ash Ketchum e criou a comunidade "Animais eu Mato na Facada 2", que depois se transformou no grupo Homens de bem e mais tarde originaria os Homens Sanctos. Porém, ele não participava muito da HDB e acabou saindo.[14]

O site AfroPress conseguiu quebrar o seu anonimato, após perceber que ele usava o mesmo e-mail no Mercado Livre, onde ele comprou um animal de estimação. Ligaram para o vendedor e conseguiram os seus dados. Depois disso, o site da AP passou a sofrer ataques e ameaças por mais de 3 anos.[15][16][17]

Em 2007, Marcelo, à época conhecido como Ash Ketchum, criou a comunidade Semeadores da Discórdia Maior no Orkut com o objetivo de sujar a imagem da comunidade Semeadores da Discórdia de Izzy Nobre, da qual ele tinha sido banido. Ele e seu bando fizeram vários ataques racistas e misóginos em nome dessa cópia até o ponto que ela ficou mais conhecida do que a comunidade original. Isso teria acontecido pois Marcelo foi se encontrar com a Mari Moon em São Paulo (ele era apaixonado por ela), e acabou sendo rejeitado. Marcelo, na época, que acompanhava o blog de Izzy Nobre e se dizia um "admirador" de seu trabalho, chamou Izzy Nobre no MSN oferecendo dinheiro para que Izzy passasse a atacar Mari Moon em seu blog, porém Izzy recusou a oferta de Marcelo.

Ainda em 2007, houve uma tentativa de incêndio criminoso na Casa do Estudante Universitário (CEU) da UnB. Toalhas com combustível foram jogadas nas portas dos apartamentos de estudantes africanos, e então algum losco ateou fogo nelas.[18] Embora não haja indícios de que Marcelo tenha participado ou colaborado com o atentado, ele teria feito posteriormente publicações racistas no Orkut, algumas inclusive favoráveis ao ocorrido. Marcelo foi citado num Termo de Declarações por suas manifestações na rede social, o caso teve tanta repercussão no Orkut que na Wikipédia do Orkut o Marcelo é citado. Cansado de ser censurado no orkut, ele criou em 2008 um blog para postar as merdas dele, chamado Diário Troll.[19]

Um troll inimigo, chamado Pastor Terror ou Barianni, chegou a passar diversos trotes para a avó de Marcelo, levando Marcelo a denunciá-lo e até ameaçá-lo de morte.

 

Em 2009, aos 24 anos, foi descoberto em investigações sobre os comentários no orkut que foram denunciados à PF três anos antes, foi condenado a 1 ano e 2 meses de prisão, mas ele alegou insanidade, pagou a fiança e não ficou um dia sequer na cadeia. Ele foi o primeiro brasileiro a ser condenado por racismo na internet no Brasil, chegando a dar uma entrevista para a Campus Online da UnB, em que afirmou que o entenderam mal e que na verdade ele estava fazendo uma piada com o sistema de cotas, ironizando como tal sistema era injusto.[9] [20] (Aham.)

Eu queria criticar o sistema de cotas, fazer uma ironia de como ele é injusto. Jamais ser racista, como estão dizendo por aí.

—Marcelo ao Campus Online

Depois, Psyclon rumou para o único lugar com gente tão imbecil quanto ele, o 55chan. Infelizmente, eles se mostraram pouco tolerantes à veadagem dele, que no começo consistia em ficar postando gigantescos copicolas misóginos em que ele dizia querer matar "piranhas e depósitos de porra" e postando como avatarfag de Michael Myers da série Halloween , o único personagem fictício que encarnava a jorgice dele.

Alguns teóricos /b/astardos afirmaram que Myersfag seria a outra face do Sakurafag, um imbecil que spammeava o 55chan com fotos da "Xakurinha" de Sakura Card Captors, o que é plausível pelo fato de Psyclon ser um weeaboo maldito.

Nessa época Marcelo também passou a derrubar blogs, exigindo dinheiro para os proprietários dos sites para que pudesse lhes devolver o blog.

Ele também foi inscrito por trolls no concurso ridículo da Capricho e, embora não tenha conseguido a façanha do Lord Eternal de chegar em primeiro antes de ser deletado, muitos lulz foram obtidos das pirralhas que ficaram indignadas com o perfil dele.[21]

2010-11: Silvio Koerich original e Emerson Eduardo Rodrigues

Nesse mesmo ano, descobriu a existência do blog masculinista e antifeminista Silvio Koerich, que fora invadido por feministas militantes, o que aumentou sua popularidade. Em comentários do blog, conheceu Emerson Eduardo Rodrigues e os dois tornaram-se amigos e parceiros, passando a interagir por e-mail e mensagens privadas.[22] Os comentários deles nas postagens do blog chamavam mais atenção do que outros por serem pesados demais e acabaram sendo censurados pelo dono do blog, que passou a exigir aprovação de comentários, prejudicando outros usuários. A insistência deles faria Koerich banir seus IPs do site no início de 2011. Marcelo utilizava o nicknames de "Damned Knight" para fazer os comentários.

Após ser expulso de todos os lugares por onde passava, e também com o fim do 55chan, foi bostejar no Brchan, onde não era banido por pena dos moderadores e pelo Lulz, já que Marcelo teria virado um meme do chan com direito a piadas internas e montagens com seu rosto. Arquitetou, entre outros, um ataque false flag contra a ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos), invadindo o site e postando um evento sobre queima de bíblias, e outro contra um travequeiro chamado Ursão T-Lover, ambos divulgados no Twitter pelo Izzy Nobre e Bobagento.[23][24] As raids eram coordenadas no 45chan.[25] Ele também foi um dos que começaram a forçar o Bolsonaro junto com a turma do Emerson, nos chans.

Nessa mesma época, Marcelo também teria atacado a própria mãe com socos e pontapés por ela não concordar com a mudança da TV da sala para o quarto dele.

Em 2010, criou uma conta no Twitter (@psycl0n) para postar jorgices, provocando a ira dos SJWs. Ele chegou a dar butthurt até na Glória Perez  e no Marcius Melhem , e por causa disso foi denunciado diversas vezes para a Safernet. Depois ele começou a se passar por um homossexual até privar sua conta. Após isso ele criou a conta @anjooslava, onde apoiava o nazismo e ficou postando merda até ser banido.

2011–12: Silvio Koerich falso

editar
Com o Massacre de Realengo em 7 de abril de 2011, Silvio Koerich parou de fazer postagens em seu blog devido a acusações de que ele teria indiretamente motivado o ataque.[nota 4] Três meses depois (julho), sem dar nenhum motivo, o blogueiro fez um último post anunciando o encerramento das atividades. No entanto, manteve todas as postagens no ar para preservar a história e futuras pesquisas no blog.

 
Print parcial do blog falso Silvio Koerich em 22 de setembro de 2011.

Nessa época, Emerson estava sofrendo ataques de diversas comunidades do Orkut após ter feito o vídeo racista na Índia. Esses ataques seriam todos a mando de Rafaela. Pulsen fazia ameaças a ele e a família dele constantemente na comunidade Homens Sanctos; ele também teria se passado por um amigo do Emerson antes. Pulsen dizia que iria destruir a vida do Emerson associando ele ao Massacre de Realengo. Emerson passou a divulgar em diversas comunidades no Orkut a proposta de que iria pagar e contratar para a sua empresa alguém que o ajudasse a parar os ataques que vinha sofrendo na internet, então um perfil fake no Orkut (que Emerson acredita ser da Rafaela) chamou Emerson e indicou o Marcelo. Emerson passou a ter mais contato com Marcelo e saber quem era Marcelo Valle Silveira Mello (antigamente, Emerson conversava com Marcelo e nem sabia quem era Marcelo). Emerson pagou a passagem de Marcelo de Brasília pra Curitiba, Emerson o contratou em sua empresa TOP CELL Networks para o cargo de Especialista em Segurança de TI, mas logo se arrependeu.

Em 2012, Marcelo se mudou para Curitiba, onde passou a cursar direito em uma universidade privada.[26] Ele teria anunciado isso no Brchan, afirmando que teria puxado briga com uma maconheira que estava em uma praça fumando. Ele teria passado encarando ela e rindo, e ela respondido ele falando baixo "Que dó". Marcelo gritou na rua que "dó" teria 25 cm, e seria o apelido de seu pau.

Segundo Emerson, Marcelo andava todo sem jeito no aeroporto, ficava de cabeça baixa, tinha um jeito de louco e todas as pessoas ficavam olhando pra ele. Quando Emerson foi cumprimentar Marcelo, o Marcelo não quis olhar na cara de Emerson (ficou olhando pro chão), e respondeu Emerson com apenas "Tá bom, tá bom". Marcelo estava suando demais. Marcelo iria ficar em um hotel, mas, Emerson tentando ser gentil pediu para que Marcelo dormisse em sua casa (que ele dividia com sua esposa na época) e Marcelo aceitou, quando ele chegou lá, a esposa de Emerson teria perguntado a ele "Quem é esse maluco que você trouxe pra casa?". Em um almoço de negócios, com churrasco, porém com gente refinada da empresa de Emerson (incluindo um alemão que vinha da Alemanha, muito bem educado e gentil), Marcelo foi convidado. Durante o almoço, Marcelo ficava interrompendo as conversas o tempo todo até que peidou e todo mundo ficou se perguntando "Quem foi?".

Emerson e Marcelo decidiram se vingar de Silvio Koerich por tê-los banido. Criaram duas cópias baratas hospedadas na Malásia, .org e .com, do blog original que era no Blogspot com o mesmo nome (caso um caísse, o outro era usado).[22][27] Mas essas versões, além de serem antifeministas, eram cheias de jorgices (assuntos chocantes) para quem não tinha estômago ou costume de ler tantas barbaridades (tchê!): a defesa de estupro (contra mulheres e crianças), racismo (contra os negros), pedofilia (com meninas), xenofobia (contra nordestinos e nortistas brasileiros), antissemitismo (contra os judeus), supremacia branca e nazismo, islamismo (sim, defendiam essa prática, apesar da defesa do cristianismo), massacres e violência (contra universitários, animais, homossexuais, esquerdistas, comunistas), atentados contra a Rede Globo de Televisão por promover Jean Wyllys e os esquerdistas[nota 5] e autoridades oficiais (da Justiça, Ministério Público e a Polícia Federal). Os dois blogs falsos começaram a funcionar cerca de três meses depois do verdadeiro anunciar o fim das atividades.

Emerson disse que Franciele (a nova esposa dele) tinha medo de Marcelo. Uma vez Emerson tentou conversar com Marcelo junto de Franciele, perguntando como era a vida dele, de onde ele vinha e o que ele fazia, Marcelo respondeu "Emerson, pode ficar calmo. Eu tenho experiência em assassinato de reputações", e depois disso, Marcelo pegou o computador de Emerson e mostrou um vídeo de um homem sendo preso e condenado a 7 anos de prisão por pedofilia, e Marcelo disse pra Emerson e Franciele que foi ele quem incriminou aquele homem. Isso foi a gota d'água para Franciele, que ameaçou largar o Emerson se ele não tirasse o Marcelo de sua casa, Franciele chegou a ligar para a mãe de Emerson perguntando se Marcelo podia ficar lá, depois disso, Emerson levou Marcelo para conhecer seu pai que estava curioso pra saber quem era, o pai de Emerson quando o viu só falou "Tira esse cara daqui, tira esse cara daqui, Emerson. Não senti uma energia boa com esse cara, esse cara é um demônio em pessoa". Emerson então indicou um hotel para Marcelo ficar e ele foi ficar lá até ser preso.

Segundo Emerson, enquanto Marcelo estava em sua casa, a Polícia Federal já estava investigando ele e vigiando ele na casa dos vizinhos e que a internet caia constantemente e pessoas desconhecidas tiravam fotos dele na rua.


Os blogs jorges começaram a ser denunciados em meados de novembro por causa de postagens reproduzidas nas redes sociais (Orkut, Twitter e Facebook) e depois na imprensa brasileira nos primeiros dias de dezembro. O blog chamou atenção da blogueira feminista Lola Aronovich, que até então não os conhecia, e do grupo hacktivista Anonymous e começou a receber denúncias na Polícia Federal. O Anonymous Brasil (que vivia sua era de ouro) tentou derrubar os blogs duas vezes no final de dezembro e, apesar de não ter conseguido,[27] obteve as identidades dos responsáveis e expôs os dados pessoais de Emerson e Marcelo na internet.[nota 6]

Em dezembro, ao saber que o blog fake estava dando mais atenção do que o original, o verdadeiro Silvio Koerich decidiu tirar seu blog do ar por definitivo, apagando todas as postagens. Apresentou-se na polícia negando a autoria das postagens criminosas e auxiliou as autoridades policiais na identificação dos suspeitos que estavam assassinando sua reputação e a do seu blog verdadeiro. Apesar de estar fora do ar, os fãs do do blog original conseguiram salvar todas as postagens e disponibilizaram-nas na internet.

Nessa época, surgiram dois perfis polêmicos no Twitter: Sophia Fernandes (@SophiaOfDreams) e Karine Melchior (@KarineMels2), que postaram ofensas contra nordestinos. O primeiro terminou sendo hackeado por três grupos de hackers (que alguns acusam de terem criado o perfil para simular as ofensas) e o segundo terminou sendo suspenso (antes da suspensão, o perfil era provavelmente controlado pela dupla e seus comparsas).


 
Marcelo na Campus Party.

Em janeiro de 2012, participou da Campus Party  de São Paulo. Ficou conhecido por distribuir CP por lá, um dos motivos foi para tentar atrelar o PC Siqueira.

Em 14 de março de 2012, já havia fodendo 69.729 denúncias na SaferNet  contra o Silvio Koerich falso, um recorde da história da internet no Brasil.[28]

2012-13: Primeira prisão e condenação

 
Marcelo faz carinha de tesão ao ser preso em 22 de março de 2012.[29]

editar

 
Capa do Correio Braziliense em 23 de março de 2012
 
Como Psycl0n enxerga as escolas e universidades, como o Colégio Bernoulli e o curso de Ciências Sociais da Universidade de Brasília

Em 22 de março, dois dias depois de uma postagem no blog prometendo um massacre no carnaval igual ao de Realengo aos alunos do curso de ciências sociais da Universidade de Brasília, que chamavam "reduto de esquerda", além de extrapolar em diversos assuntos tão absurdos que queimaram a reputação do blog original,[22] a Polícia Federal resolveu executar uma operação (Operação Intolerância) e prendeu Emerson (que ainda estava em lua de mel) e Marcelo em Curitiba.[30] Os policiais encontraram um mapa apontando uma casa de festas frequentada pelos universitários no Lago Sul, local onde poderia ocorrer a matança (segundo Psy, era só um desenho aleatório feito pela vó dele).[31] Uma terceira pessoa ligada ao blog (supostamente o Kyo) teria sido presa, mas foi solta logo em seguida.

No dia da Operação Intolerância, onze viaturas federais chegaram às portas do apartamento de Emerson. O alemão Ralf Gimbel, com quem Emerson estava para fechar negócio, estava lá com ele. Emerson diz que o agente da Federal que o prendeu estava cheirado de cocaína e iria matá-lo e alegar resistência a prisão, mas não o fez pois Míriam Regina Longo teria gritado que havia uma testemunha ao ver Gimbel. Emerson diz que o motivo de quererem o matar seria as denúncias que ele estava fazendo contra a IURD.

Quando Emerson e Marcelo foram presos, Marcelo já chegou na carceragem bravo e zombando da Polícia Federal ("Polícia Federal, chupa o meu pau!"). Marcelo tinha certeza de que sairia pela porta da frente e dizia que Emerson ficaria com fama de cagueta e seria estuprado ou assassinado na cadeia. No entanto, segundo Emerson, o único que foi estuprado foi o próprio Marcelo, primeiro por um contrabandista desdentado e depois pelo Tio Billy, um negro grande, num presídio em Piraquara.

Outros detentos que ficaram presos junto a Emerson:

  • Léo, segurança da Centronic, acusado de matar um pichador em Curitiba. Ele foi absolvido por não haver provas contra ele e pediu uma indenização para o Estado. Perdeu a mulher enquanto preso.
  • Márcio Adriano Stocco, que também ficou com Marcelo e o teria visto sendo estuprado.
  • Éder Conde, traficante que foi preso com a Miss Curitiba no Aeroporto de Curitiba (a prisão deles saiu no Gazeta do Povo). Paulo Hernani de Menezes Júnior era seu advogado e amigo. Em junho de 2012, ele ligou para o presídio de Marcelo e descobriram a cela dele. Tio Billy atendeu e disse que Psy era sua mulher e o estava "mamando".
  • Jeferson de Lima Zanúncio, acusado falsamente pela mulher, Cassilda de Lima Zanúncio, de ter estuprado a filha pequena deles e condenado a 12 anos mesmo com exames comprovando sua inocência (ironicamente, sua mulher morreu no dia da mentira, 1º de abril de 2013).

Toda a imprensa brasileira repercutiu o caso e Marcelo e Emerson tiveram seus rostos e nomes expostos pela grande mídia. O jornal Correio Braziliense (de Brasília) dedicou a capa inteira do dia 23 de março sobre o caso. No BRchan, foi postado um tópico pinado com a música Ritmo de Festa do Silvio Santos para falar sobre a prisão dos dois. Neste tópico, foi criada uma música em homenagem à dupla para a Coletânea Lulz. Enquanto isso, o blog jorge Silvio Koerich permaneceu online com as postagens até a empresa responsável pela manutenção dos sites retirá-los de serviço, mas não do ar, em meados de abril.

Apesar das mais de 8000 jorgices cometidas, oficialmente, a prisão da dupla foi "apenas" por racismo e CP. O suposto CP, no caso, seriam meros nudes baixados no próprio Google Images. Marcelo também supostamente possuía imagens de jailbaits em seu computador. editar esta frase ou a foto do Psy

Marcelo alegou que apenas administrava a hospedagem do blog e que o autor das postagens teria sido o Ministro Cláudio (o mais provável é que mais de uma pessoa controlava o perfil, pois ele continuou postando depois da prisão dos suspeitos).[32] Emerson disse que as postagens dele no blog eram alteradas por Marcelo e que elas seriam apenas para rebater os ataques que vinha sofrendo da Rafaela após ela descobrir que ele era o verdadeiro Nessahan Alita. Disse também que Cleber Monteiro Muniz (o "falso" NA) seria o verdadeiro Silvio Koerich, e disse ainda que Cleber foi orientado por ela a fechar o blog original, para que fosse criada a segunda versão mais escabrosa para atrelá-lo.[33]

Para a Polícia Federal, Emerson Eduardo Rodrigues seria o principal responsável pelo conteúdo do site "Silvio Koerich". O técnico de informática seria agressivo e violento, e autor da maior parte das publicações do endereço na web, que defendia a morte de mulheres que mantivessem relações sexuais com negros, o assassinato de homossexuais, o estupro coletivo de lésbicas e o abuso sexual contra menores de idade.

Na tentativa de se safar da cadeia durante o julgamento e a condenação, Emerson e Marcelo botaram a culpa um no outro de ser o criador do site (mesmo eles tendo criado juntos), o que fez com que cada um tivesse seu advogado de defesa e a eterna rivalidade entre os dois começasse. Diante da gravidade das postagens criminosas, o caso foi colocado em segredo de justiça, o que contribuiu para que a operação policial e os envolvidos fossem esquecidos nos noticiários no decorrer do ano.[nota 7]

Em novembro, dois vídeos postados no YouTube (logo suspensos) mostraram prints vazados de páginas do processo contra os envolvidos, que estava em segredo judicial, provavelmente por algum integrante ligado ao caso. A promotoria pública no Paraná determinou investigação do vazamento do caso, mas parece que não deu em nada. Emerson diz ter recebido informações de dentro da Polícia Federal que foram Míriam Regina Longo e Fernando Encinas que soltaram esses dados a mando de Flúvio Cardinelli García. Ele também afirma que Lola Aronovich obteve acesso em primeira mão aos documentos vazados pois o blog dela foi o primeiro lugar onde apareceram essas informações.[33]

Em 7 de fevereiro de 2013, Emerson e Marcelo, já presos definitivamente, foram condenados a quase sete anos de prisão (na teoria, seriam soltos somente em 2019). Segundo relatos de Emerson, Manuela d'Ávila visitou a dupla no primeiro dia de prisão e Marcelo teria chamado a política de "gostosa". Em retribuição, Manuela teria dito "apodreça na cadeia". Logo em seguida, depois de Marcelo ter confessado aos presidiários ser o dono do site, teria sido espancado por eles e depois estuprado por um negro contrabandista desdentado e depois por um negro de 2,06m de altura chamado Tio Billy. Ainda segundo Emerson, Marcelo teria sido obrigado a dormir no boi (buraco sanitário) e a ser acordado com jatos de urina dos presos. O preso Márcio Adriano Stocco teria presenciado tais cenas.[34][35]

Já o Marcelo dizia que Emerson tinha que pagar sacola (mandar familiar trazer comida) pros outros presos, ou eles o matariam. Arranjou inimizades lá dentro, pois dedurou um esquema de celular no presídio. Ele também disse que jamais foi preso com os presos comuns, pois tinha nível superior (e ele tem), enquanto Emerson não.

Três meses depois, Maria do Rosário teria entrado com um nome falso ("Drª Luciana Silva"), se passando por uma advogada, na prisão em que Emerson e Marcelo estavam e falado com o advogado de ambos em tentativa de o chantagear e prolongar o tempo dos dois na cadeia. Ela teria prometido fazer da vida deles um inferno lá dentro e ameaçado articular uma rebelião em que seriam mortos.


2013: Saída da prisão e criação do Dogolachan

 
Print do 77chan em 2013

Em 15 de maio de 2013, a dupla foi solta pela Justiça para responder em liberdade, mas continuou a brigar. A soltura foi graças à legislação brasileira muito branda em relação a esses crimes e por terem cumprido um sexto da pena (1/6), como também indulto presidencial.[nota 8] Ao contrário da mega cobertura que imprensa deu na prisão da dupla, a soltura deles não teve nenhuma cobertura dos mesmos órgãos.[nota 7]

Após a soltura, Psy esperou a poeira baixar e, graças à imprensa conivente que esqueceu do seu caso,[nota 7] voltou a atuar na internet em sua busca de popularidade.

Uma das primeiras coisas que Psy fez foi criar uma nova conta no Twitter (@vulgocandango) para dizer que não tinha medo de nada, não tinha mais nada a perder e que estava disposto a matar e morrer para se vingar, ameaçou a Polícia Federal e xingou a Lola Aronovich.

Como o 77chan era o chan mais movimentado do Brasil em 2013 e o BRchan já estava em falência, Marcelo passou a frequentar o 77chan. Sempre insatisfeito, apresentando falhas seja nas regras, nos moderadores que não ia com a cara, na vulnerabilidade do chan a ataques hackers. Como era de se esperar, com o tempo se cansaram das threads de provocações de Marcelo, e resolveram lhe banir do chan. Por isso, Psy passou a frequentar o 55ch, uma recriação do 55chan original do K. Sempre tentando se enturmar, contando vantagens de ter conhecimentos "hackers", contando sobre sua estadia na prisão ou doxxando as vadias attwhores que apareciam no chan mostrando as tetas. Marcelo acabou que sendo expulso definitivamente do 55chan, e por isso decidiu criar o Dogolachan.

 
Dogola e seu sorriso contagiante.

Em 13 de dezembro, Marcelo criou o seu próprio chan, o Dogolachan. Marcelo já havia criado outros dois chans antes do Dogolachan, o Jorgechan e o 45chan, que seriam dois chans minúsculos sem muita relevância e que caíram rapidamente.

O nome de Dogolachan veio de Dogola, um cachorro carismático (na verdade, uma cadela) encontrada na Rússia em 2009 em meio em meio a fotos de um festival hippie no Livejournal.[36] A foto foi postada no blog Leprosorium[37] e deu origem ao chamado "Собака-улыбака" (sobaka-ulybaka, cão sorridente), junto com outros animais que eram usados na época para fazer macros e outras merdas sem graça. Mais tarde, o meme foi colocado como um "gift" oficial no VK.[38] O meme teria sido descoberto pelo João das Coxinhas, um mangina e underage que antes seria conhecido como "Avivafag", por ficar postando as fotos da Aviva nos chans e forçar isso o dia inteiro até saturar. Quando a sua identidade caiu no chans, obviamente resolveram fazer algumas brincadeiras contra João, e por isso ele resolveu tentar tirar a atenção de sua pessoa (após ser desmascarado como o Avivafag) e se tornar O GRANDE CRIADOR DE MEMES QUE RULEIA O CHAN. Não funcionou: Jão foi novamente descoberto e ridicularizado. Ele teria pesquisado "dog lol" no Google e encontrado a foto do cachorro simpático, lhe nomeado de "Dogola" para depois raidar o 55chan com montagens do cão para tirar a atenção de sua pessoa.

 
Primeira guerra dogolática.

O nome de Dogola para o chan foi sugerido por Kyo, já que a ideia de Psy era de destruir o 77chan e o 55ch, tornando o Dogolachan o chan principal do Brasil, e o Dogola era um meme proibido no 55chan.

O Dogolachan apresentava uma novidade, a opção de embutir vídeos do YouTube nas threads. O primeiro moderador do Dogolachan foi o Kyo.

2014: Ataque ao 77chan e aliança com Gustavo Guerra

Os DNS foram alterados. Agora é só uma questão de tempo. Nós iremos nos tornar o maior IMAGEBOARD do Brasil.

—Psy

Bem vindo ao mais novo chan da Interwebs brasileira. A falência do mar de mijo é a prova que a Internet brasileira precisa de mais que um chan administrado por moleques cujo dono não passa de um maconheiro escroto que molesta crianças. A caminhada é a seguinte.

Quando o mar de mijo falir, eu vou falir a toca do coelho também. Quando eles pensarem em 'dar o troco' vão encontrar uma merda escalável via AWS com milhões de proteções incluindo um modsecurity escroto. O máximo que vão poder fazer é chorar mesmo. É o meu sangue judeu, falindo os concorrentes. Só pode haver um. Mas aqui todos serão livres, não haverá amiguismo, você posta o que quer, se postar CP leva ban. Tirando isto, façam o que quiser. Não vai ser moleque de 12 anos que vai dizer que você é câncer ou não.

— Psy

[39]

Este chan racha com a ideia do comando.

Não existe protocolo de contenção, nem toca de coelho, nem amiguismo. Ninguém é melhor que ninguém, não sou eu vou te julgar. Isto foi construído como um espaço livre, onde todos tem o direito de dizerem o que querem. A única censura aqui é a imposta pelo datacenter em relação a conteúdo ilegal no país de origem, tirando isto. Façam o que quiserem. A moderação só existe para prevenir abusos contra o serviço, ou seja, flooding e postagens ilegais que visam impactar o chan como um todo.

O 77chan é miguxismo, toca de coelho, protocolo de contenção, quem é que aqueles moleques tão se achando para dizer que são melhores que os outros. Mar de mijo é retardismo, um maconheiro retardado que nem TCP/IP sabe querendo se dizer melhor que os outros, se não falir de uma vez vai falir na próxima semana por que eu to empenhado nesta caminhada.

Toca do coelho vai pro saco assim que mar de mijo morrer por que não gosto de gente retardada que fica fazendo fofoquinha por trás e não diz na cara.

Os únicos que irão sobrar será isto ou o XCHAN

—Psy

Em 10 de novembro de 2014, Psy conseguiu roubar a administração do 77chan, isso foi possível graças ao lapso do dono incluso do 77chan de não trocar a senha padrão de administrador que já vinha da engine Kusaba. Psy conseguiu fazer com quem entrasse no 77chan.org fosse redirecionado para o dogolachan.org na esperança de tornar o Dogolachan o maior chan do Brasil, já que na época o maior chan do Brasil era o 77chan.

Depois de conseguir trazer mais usuários para o seu chan, Psy espalhou a senha de administrador do 77chan e ainda doxxou o P, administrador do 77chan, que seria um esquerdista e paneleiro do Facebook chamado Antônio Henrique Oliveira.

Depois do 77chan ser morto por causa do Psy, o cargo de principal chan do Brasil foi para o 55ch em vez de Dogolachan, fazendo Psy se revoltar contra o 55chan e montar os mais diversos planos para falir o chan ou assassinar a reputação da staff do chan.

No Salmãochan, um chan criado neste ano e que permite a presença livre de mulheres, Psy ficou conhecido por betar a Salmão e outras usuárias.

Um paneleiro da Panelinha do Bananal conhecido como Carlinhos teria despertado a fúria dos anões do 55chan, que decidiram fazer uma raid contra eles. E foi aí que Gustavo Guerra, que também era paneleiro, conheceu os chans. Ele, que também era paneleiro, fez uma conta no YouTube para reclamar da raid. Como o vídeo teve muitas visualizações, ele começou a fazer raps e outras escrotices no canal. Ele também passou a frequentar chans ainda em 2014, principalmente o Dogolachan, pois

Essa foi a derrota do Guerra, porque ele já era falho, mas ao entrar de cabeça no chan do Psy acabou sendo corroído pelo Psy e os dogoleiros. Era usado pelo Psy para gravar vídeos jorges que eram postados em blogs misóginos. Fora o Psy, ele também era manipulado por Sentafria, em barganhas oferecendo atos sexuais com a irmã do Sentafria.

No início, ele não era bem aceito no Dogolachan pois era membro da Panelinha do Bananal e nunca escrevia corretamente. Mas Psy viu no Guerra uma pessoa de mente fraca e decidiu que iria usá-lo em seus planos mirabolantes. O primeiro feito do Guerra foi ter passado trotes para a casa da Lola Aronovich. Em um dos trotes, Guerra disse que era o Psy quem estava falando, e segundo ele, a Lola ficou muito nervosa no telefonema. Em outro trote, Guerra imitou um traficante. Um desses trotes chegou a passar no Profissão Repórter da Globo em 2015, na mesma matéria onde entrevistaram o Psy. No trote, Guerra fala "Vamos abater o porco, vamos te furar toda!".

Ele dizia no Dogolachan que frequentemente espancava a mãe e que já teria feito contrabando, além de considerar o Psy um "parceiro do crime". Guerra também pedia constantemente ajuda em chans para se tornar um serial-killer superstar como o Charles Manson e alegava que jamais iria parar de jorgear na internet, pois é inimputável.

2015: Blogs e Profissão Repórter

Em 2015, Psy lançou vários blogs de ódio no WordPress semelhantes ao antigo blog jorge Silvio Koerich, os blogs seriam Realidade, Homens de Bem, Reis do Camarote, PUAHate, Filosofia do Estupro e Tio Astolfo.

O mais popular foi o blog Tio Astolfo.

Psy costumava utilizar o pseudônimo de "Doutor Astolfo Bozzônio Rodriguez", um Ph.D  em Psicologia Social por Harvard e que dizia morar na Rússia, que posteriormente se identificou falsamente como Robson Otto Aguiar para assassinar a reputação de Otto.

Entre julho e agosto de 2015, Otto publicou uma série de entrevistas com Emerson Eduardo Rodrigues em seu blog e seu canal no YouTube. Em uma delas, Emerson afirmou ter sido alvo de fraude e perseguição da quadrilha liderada pelo jorge Psy. As postagens foram suficientes para que o blogueiro se tornasse uma vítima da quadrilha, que atribuiu a ele uma série de postagens do infame blog do Tio Astolfo. Ele chegou a receber ameaças de morte de muita gente indignada que acreditou que ele realmente fosse o responsável pelas postagens jorges, o que se agravou com reportagem no R7 afirmando que ele foi o verdadeiro autor do blog (razão pela qual ele foi obrigado a acionar a justiça). Seus dados pessoais foram divulgados no blog em que desafiou a polícia, mas depois o blog foi tirado do ar.

 
Blog criado pelo Psy, com o nome do Cauê.
 
Foi um sucesso.

Psy depois criou o blog "CAUÊ FELCHAR: Uma Opinião Polêmica" e recriou o blog Tio Astolfo com ódio a mulheres, judeus e negros sob o nome do Hitmonkey (na época o administrador do 55ch) pelo lulz,[40][41] além de direcionar alguns blogs para o endereço do 55. Isso fez hitmonkey rir da situação e não fazer nada para tirá-los do ar. Mas como tudo chega aos ouvidos da Polícia Federal, uma matéria divulgada na Rede Record fez o hit temer pelo cu. Como o MPSP passou a investigá-lo,[42] ele teve que derrubar o 55ch imediatamente, porque iria dar merda para ele se as autoridades vissem a caralhada de anões underages falando jorgice no site hospedado por ele. Depois disso, passou a administração para outros moderadores que moveram o chan para um outro domínio debaixo de 7 proxies, além de gravar entrevista chorando alegando ser inocente.

Ele diz que a sua vida foi destruída, provavelmente por uma feminazi que mandou ele tomar no cu, e que ele já entrou em depressão por causa disso. Cauê estudava Engenharia Química na Unesp de Araraquara, mas saiu em março de 2015, pouco depois dos ataques. Ingressou na UFPR pouco depois, no curso de Ciências da Computação em Ponta Grossa - PR.

Não estudei com essa pessoa, nunca vi essa pessoa pessoalmente, nunca... Ela nunca fez parte, assim, mesmo da minha vida.

—Cauê, a respeito de Psy

Kyo parece ter tido um breve envolvimento online com Castora (Julia Busse), usuária carioca do Dogola, em 2015. Kyo forneceu o nome falso de Bryan para sua "webnamorada", que ele chamava apenas de "J.", e disse a ela que morava em São Bernardo do Campo.[43] Isso causou a confusão com os nomes descrita acima.

 
Castora no Dogolachan, na sua fase misândrica, relatando de forma sardônica suas experiências com Kyo e Gustavo Guerra

Segundo relatos, Castora seduziu Kyo com segundas intenções (ela também fez isso com o Gustavo Guerra e com o Technomage). À época, ela nutria um ódio de homens pois seu namorado a traía com prostitutas, então um dos objetivos dela era provar que Kyo não era misógino e que a misoginia não era real. Quando ele já estava caidinho, Castora começou a praticar bullying contra ele, pegando prints dele se humilhando, dando-lhe o apelido de Cuckyo e Cornyo, chamando-o de "pardo burro" e inclusive induzindo-o ao suicídio, tendo quase comprado para ele um exit bag (saco plástico para suicídio com asfixia e gases). Esse bullying durou cerca de 18 meses. A certo ponto, Castora fez Kyo revelar sua identidade e gravar certos vídeos. Em decorrência disso, Psy, o então dono do Dogola, acabou brigando com Kyo e o expulsando definitivamente do fórum.

Em 2015, Guerra teria brigado com Psy após o gordinho começar a banir suas threads esquizofrênicas, que consistiam em dizer que amava travecos e que todo homem deveria dar o cu pois faz cagar grosso, que Coca-Cola deixa a merda quente, que Yakult com limão proporciona habilidades regenerativas, que negros são superiores e que passar shampoo nos pelos do pau é um ato de higiene honrado. Guerra começou a fazer estas threads pois os dogoleiros não davam mais uma foda para as suas threads de redpill contra os judeus.

Mais tarde, Guerra criou o /kriegchan/, sua board autista no 8chan.

Guerra chegou a se juntar a Wallace de Jesus Barroso para passar meses floodando o Dogolachan com traps e CP. O Psy teve que banir o provedor inteiro da Claro para prevenir essas raids. A certo ponto, Psy também adicionou a ex-namoradinha do Guerra Emma Müller (Caroline de Paula Diniz) como moderadora do Dogolachan para prevenir essas raids. Emma, que na época era underage, conseguiu a moderação no Dogolachan após gravar vários vídeos a mando de Psy e de outros dogoleiros como vídeos nuas, vídeos dizendo que foi estuprada pelo Gustavo Guerra (e que gostou).

No dia 11 de setembro de 2015, Emerson Eduardo Rodrigues e Psy decidiram fazer as "pazes" (segundo Emerson, era tudo apenas um falseflag para coletar informações), Emerson, Psy e Ivandro Biscaia (segundo outras fontes, o terceiro homem era Coelho, mas Emerson diz que Coelho estava nos Estados Unidos) viajaram de carro de Curitiba até o Rio de Janeiro. Emerson cedeu o seu Astra para a viagem e dirigiu e Marcelo pagou a gasolina. Como Emerson corria muito com o carro, Marcelo acabou vomitando nas costas de Ivandro, que teve que mudar de lugar.

Emerson tinha dito aos dois que ele só iria ao Rio para tirar o visto de seu passaporte, mas em algum momento depois, Marcelo descobriu que Emerson na verdade pretendia ver o então deputado federal Jair Bolsonaro num encontro que já estava marcado para o dia seguinte. Irado com a descoberta, Marcelo a contou para Ivandro e os dois resolveram se vingar secretamente: segundo rumores, descobriram o telefone da equipe de Bolsonaro e um deles (provavelmente Marcelo) informou aos assessores do então deputado tudo sobre o passado negro de Emerson, tendo inclusive pedido para pesquisarem o nome dele no Google. No entanto, Emerson diz que ele chegou falar no telefone com Bolsonaro ao lado de Ivandro Biscaia.

No dia do tal encontro, Bolsonaro não quis receber Emerson, para o seu desapontamento. Tem uma entrevista onde o Bolsonaro reconhece isso, mas não diz o nome do Emerson, mas apenas "o sujeito lá de Curitiba, acusado de pedofilia". Enquanto isso, segundo Emerson, Psy teria ido se encontrar com um comparsa chamado Kurt. Emerson e Ivandro voltaram para Curitiba de carro, enquanto Batoré voltou de avião com a passagem paga pela equipe do Bolsonaro. Ivandro pensava que Batoré estava do lado de Emerson, mas Emerson afirma que foi justamente naquele dia que a guerra entre eles começou de verdade.

 
Emerson, visivelmente mais rechonchudo, e Marcelo no Bar do Alemão em Curitiba em 2015. Segundo ele, estava fingindo ser amigo para coletar informações do Marcelo (um false flag, como ele diz)

Em novembro, passaram a circular na internet fotos, provavelmente tiradas em outubro, mostrando Emerson e Marcelo juntos pela primeira vez desde a prisão em 2012, no Bar do Alemão em Curitiba. Uma delas mostra Marcelo fazendo a saudação nazista. Em outra, Emerson e Marcelo aparecem juntos com "Coelho" (José Guilhermes Fernandes Zaccarini) e também fora do bar sorridentes. Em novembro, após ver fotos de Emerson junto com o Psy, Robson Otto Aguiar se sentiu enganado por Emerson e rompeu todos os vínculos com ele. Ao saber do rompimento, Emerson passou a atacar Robson.

Na época, Marcelo tinha ido morar em Curitiba e até deu o seu PS3 para o Emerson. Até o surgimento das fotos, muitos acreditaram por mais de dois anos que a dupla não se falava desde que foram presos e que por isso haviam se tornado inimigos mortais, tendo cada um seu advogado de defesa. Alega-se que Coelho pode ter sido o responsável pela reaproximação da dupla ou que eles simplesmente fingiram que estavam brigados para cair fora da cadeia. Emerson afirma que esse encontro foi um false flag em que ele fingiu uma reaproximação a Marcelo para poder ganhar sua confiança e coletar informações para ferrá-lo depois. Inimigos e antigos seguidores de ambos aproveitaram esta oportunidade e usaram as fotos deles juntos no Bar do Alemão para atacar a dupla e afirmar que a briga entre eles é uma farsa.

Em dezembro de 2015, Psy foi alvo dos jornalistas do programa Profissão Repórter da Rede Globo. Nas imagens exibidas pela emissora, o repórter fez perguntas incômodas a ele sobre a Lola, que Psy logo chama de louca. Apesar de apertar a mão do repórter com uma expressão confusa, Psy logo muda de postura e exige que a equipe pare de o seguir e, como não param, parte para aos berros e ameaça de agredir. Numa manipulação e edição de imagens, a narração da emissora diz que ele agrediu o repórter e o cinegrafista do programa, apesar das imagens mostrarem o contrário: a equipe se afastou.[44] Antes de levar o programa ao ar, a equipe foi ao Dogolachan para ver a reação dos dogoleiros. Mas o verdadeiro motivo foi para comprovar que o Psy era o dono do site, pois "só ele" poderia ter postado sobre a entrevista. Psy especulou (corretamente) que a Lola o fez aparecer na TV para tentar mandá-lo de volta para a prisão, mas mesmo assim a vontade de chamar atenção foi mais forte e ele caiu na armadilha.

Se eu for, eu vou sair logo logo. Em um ano eu tô na rua de volta.

—Psy em 2015, ao ser perguntado se tinha medo de ser preso de novo.

2016: Aliança com Technomage

 
Psycl0n e sua esposa
 
Ryan Cangaceiro

Em 2016, surge um novo personagem chamado Ryan Cangaceiro, um nordestino que gerou bundadoída nos dogoleiros por attwhorar demais como avatarfag de Mega Man . Os dogoleiros imploraram para Psy banir Ryan, mas antes de Psy tirar qualquer conclusão sobre o sujeito, ele disse que Ryan deveria fazer algo pelo chan. E Ryan fez: gravou um vídeo falando que era um filho abandonado da Lola Aronovich.

 
Olha quem postou...

Ele ainda gravou um vídeo xingando os ateus e dizendo que todos deveriam ser presos. Esse vídeo viralizou no Facebook e chegou a ser citado por Felipe Neto.

Em 9 de setembro de 2016, segundo Emerson, Psy se encontrou com Bolsonaro para discutir a criação do BolsoCoin, uma criptomoeda homenageando o então pré-candidato à presidência, usada no Dogolachan e na deep web como forma de pagamento para crimes cibernéticos.

Em 2016, Mallone Morais, um usuário do Dogolachan, gravou uma série de vídeos de cunho pedófilo que viralizaram na Internet e foram noticiados até em telejornais. Ele falou, entre outras coisas, que adorava pornografia infantil e que todo pai devia iniciar sexualmente sua filha.

Em 13 de setembro de 2016, Felipe Neto, um dos youtubers mais populares do Brasil, fez um vídeo-denúncia chamado "O PEDÓFILO (O QUE VOCÊ NÃO SABE)", em que ele fala que Mallone é ligado a chans, explica o que são os chans e como são as pessoas que os frequentam, além de pedir para que seus inscritos (crianças mongoloides) floodassem os três principais chans da época: Brchan, 55chan e Dogolachan, coisa que eles de fato fizeram. Em 2018 ou 2019, Felipe colocou a tag [+13] no título do vídeo e colocou restrição de idade (necessitando de cadastro no site para assistir). Pouco depois, no final de 2019, mudou a tag para [+18] (autoexplicativo). Um pouco depois disso, os comentários do vídeo foram desativados.[45][46] Psy ameaçou Felipe Neto e até criou um blog em seu nome, porém ninguém ligou e o blog deu em nada. Depois Marcelo tentou ganhar dinheiro com os acessos dos inscritos do Felipe Neto, e decidiu encher o Dogolachan de propagandas, mas isso não funcionou direito. Marcelo redirecionou a home do Dogolachan para o vídeo do Emerson na Índia. Emerson ficou pistolaço e começou a perseguir Marcelo pelas ruas de Curitiba, ficava em frente à casa dele, etc., sempre gravando aqueles vídeos retardados dele. Irritado com a perseguição, Marcelo revelou pra ele o que tinha feito na viagem ao Rio de Janeiro: que ele e Ivandro fizeram com que Bolsonaro não quisesse se encontrar com Emerson, além de mostrar o vídeo que fizeram falando mal de Izabella (a filha do Emerson). As revelações foram o estopim da nova briga entre Emerson e Marcelo, dessa vez envolvendo também Ivandro. Eles ficaram de mal e viraram inimigos mortais de novo. Desde então, a dupla dinâmica das jorgices nunca mais se falou. Como o flood incitado por Felipe afetou o Dogolachan, GOEC apareceu lá, na época usando o codinome de "Doxxingfag", e ajudou Psycl0n a foder com todas as crianças que estavam floodando. GOEC pegou todos os dados e os inscreveu em sites de pornografia. Psy colocou os IPs da criançada em logs de CP e fez quem acessava o link do Dogolachan pelo vídeo do Felipe Neto entrasse em um site de pornografia. Após receber ataques e críticas pela merda que causou, Felipe se defendeu, dizendo que na época o canal dele não tinha como público principal as crianças, mostrando um print das estatísticas onde menos de 1% eram crianças (desconsiderando a possibilidade de mentir a idade).[47]

  Veja mais do mesmo em GOEC

 
GOEC anunciando o que planejava fazer com a Lola

Ainda em 2016, GOEC enviou um e-mail para a reitoria da Universidade Federal do Ceará, onde Lola Aronovich leciona, prometendo colocar uma bomba com 300kg de TATP . Com isso, o Dogolachan passou a ser investigado pela Polícia Federal. Na época, achavam que GOEC era na verdade o próprio Psy, por ter chegado do nada e comprado briga enviando e-mails com ameaças para várias advogadas da Lola. Segundo GOEC, ele teria se juntado ao Dogolachan e ao Psy para foder a Lola pois "queria fazer justiça".

GOEC também enviou diversos emails e fez vários telefonemas para PFs, explicando a treta de Psy e do Dogolachan, esperando que os PFs fossem se simpatizar com o Dogola e assim iriam virar dogoleiros. Não deu em nada; só o que deu foi vários PFs ameaçando matar o GOEC e xingando ele de filho da puta, arrombado e pau no cu.

Depois das ameaças de GOEC a Universidade Federal do Ceará, a Polícia Federal passou a investigar o Dogolachan. Psy, com medo de ser preso, pediu para que GOEC enviasse um email dizendo que nenhum ataque terrorista seria feito a Universidade Federal do Ceará.

Gostaria de pedir desculpas ao Magnífico Reitor da UFC, e gostaria de afirmar que não haverá nenhum tipo de atentado, visto que sequer moro no Brasil e não tenho qualquer poder de prejudicar alguém que more no Brasil [Nota minha: infelizmente, Goec tem amigos de chan que moram no Brasil].

Enviei estes e-mails no calor do momento por causa das atitudes da senhora Dolores Aronovich Aguero que é um péssimo ser humano. Gostaria de pedir desculpas ao senhor Delegado de Polícia Federal [...] e ao senhor escrivão [...] que gastaram seu tempo investigando a minha atitudade. Sinto muito pelos senhores terem gasto tempo comigo, tempo este que poderia ter sido usado para impedir algum crime ou prender algum criminoso. Eu trabalho na área de TI caçando e impedindo os caras maus. Eu não sou um criminoso, muito pelo contrário eu faço o bem e por isso tive essa atitude de tentar prejudicar a Dolores pois ela é uma pessoa ruim. Porém acabei prejudicando apenas inocentes. Eu estou extremamente triste pelo fato de ter prejudicado a Polícia Federal e gostaria de remediar isso de alguma forma em algo que for ao meu alcance, como assuntos relacionados a Ciências da Computação. Eu sou completamente anônimo e uso ferramentas e técnicas do Estado da Arte da criptografia, privacidade, anônimato e segurança, portanto sou irrastreável. E, mesmo se fosse possível me rastrear, tenho cidadania alemã e não seria deportado para o Brasil. Tudo isso é apenas uma perda de tempo e dinheiro por causa de um erro que eu fiz. Se o senhor Delegado quiser, ele pode me dizer quanto custou para o Estado toda essa investigação que posso pagar via Bitcoins ou Monero. Gostaria de pedir desculpas a todas as pessoas que ameacei, como o professor [...] e a professora [...]. Estou encaminhando todos os emails para as pessoas que ameacei com pedidos de desculpas e esclarecer que nada de mau irá acontecer com eles ou com a família deles. Fiz isso no calor do momento para tentar prejudicar a Dolores. Entendo que, diferente do que ocorre na Alemanha e na Suíça, no Brasil não há separação entre o público e o privado, o pessoal e o profissional. Por isso as pessoas coagidas pela Dolores Aronovich Aguero como a redatora da revista forum e o Delegado de Polícia Federal não tem qualquer culpa e tiveram a melhor das intenções, visto que não me conhecem pessoalmente, não sabem da minha boa índole e a única coisa que tiveram de mim foi uma ameaça terrorista. Eu sou membro de diversos foruns e chans. O mesmo compartamento que tenho no Dogolachan.org tambem tenho em outros locais. Sou apenas um membro e não dono de chans. Segundo o Marco Civil da Internet, a responsabilidade pelo meu comportamento é apenas minha e não dos administradores dos chans, portanto Marcelo, que segundo a Dolores é o dono do Dogolachan porém este fato não é comprovado, não tem qualquer culpa do que eu fiz como membro. Não é correto os administradores do dogolachan.org serem prejudicados por minha causa. Todo o conteudo que postei nos chans já foi removido e eu fui banido e advertido para não fazer mais isto. Este tipo de coisa não irá mais acontecer. Dolores quer prejudicar os desafetos dela e o Marcelo é o mais fraco e exposto de todos, visto que o Olavo de Carvalho mora nos EUA e é reconhecido internacionalmente e do Danilo gentilli é um comediante que tem mais curtidas em uma única mensagem no twitter do que o número de seguidores total do twitter da Dolores. Portanto é muito fácil prejudicar este desafeto específico. A pessoa culpada por tudo isto é a senhora Dolores Aronovich Aguero, que é uma ser humano tão ruim que recebeu como presente de natal a pergunta de um médico PEDIATRA pelo Twitter que indagou onde é que está o CÂNCER que não atinge e mata esta senhora. Eu sou apenas uma das milhares de pessoas que odeiam ou foram prejudicados pela Dolores. Inclusive ela tem recebido ataques de centenas de pessoas que não aguentam mais o que esta senhora com graves problemas físicos e psiquiátricos faz. Se eu tivesse poder de fazer algum mal ao Brasil, podem ter certeza que esta senhora não estaria mais viva. Ela simplesmente levaria um tiro na cabeça e morreria antes do cérebro conseguir entender o que houve. Eu nunca havia tido vontade de matar ou prejudicar alguém como sinto por esta Dolores. A real é que um dia alguém vai se encher e simplesmente matar esta senhora. São milhares de desafetos e pessoas inocentes prejudicadas por esta senhora. Eu também sinto muito por ver o dinheiro público sendo gasto com esta senhora com obesidade mórbida grau III que passa o dia inteiro sentada em uma cadeira comendo (acredito que gaste todo o dinheiro com comida e por isto pede esmolas no blog), fazendo printscreens e prejudicando desafetos usando sua posição de sub-celebridade feminista e professora universitária. Gostaria de afirmar mais uma vez que estou a disposição para quaisquer esclarecimentos e espero que tudo isso acabe da melhor maneira possível.

—Email de GOEC

No segundo semestre de 2016, Kyo voltou ao Dogolachan como moderador, mas em dezembro acabou brigando novamente com Psy, que já estava de saco cheio da viadagem do Kyo que consistia em criar todos os dias threads sobre a sua tristeza e sobre o quanto ele queria se matar. Marcelo então o trocou pelo travesti Technomage na moderação. Puto com tudo isso, Kyo criou o /firechan/, uma board do 8chan, onde reuniu seus próprios seguidores. Kyo sonhava em criar um chan com endereço próprio para bater de frente com o Dogolachan, mas nunca conseguiu pois era pobre e não tinha dinheiro para pagar a hospedagem e o domínio. Kyo chegou a fazer diversos bicos (alguns como servente de pedreiro), mas não conseguiu dinheiro suficiente. Claver Moraes (outro pobretão) encheu o saco de diversas empresas em Penápolis para que contratassem o Kyo, mas não deu em nada.

Technomage teria se infiltrado na moderação do Dogolachan por acreditar que Kyo, como moderador, iria cedo ou tarde fazer algum mal para a Castora. Durante a sua infiltração na moderação, Technomage fez a cabeça de Psy para que ele bloqueasse o acesso ao chan por VPNs. Isso fez com que todos os usuários (com a exceção dos membros da moderação e o GOEC) só pudessem postar no chan com seus IPs reais, fazendo muitos migrarem do Dogolachan para o Firechan. A ideia de Technomage era caguetar os IPs para a Polícia Federal em segredo, fazendo Psy de bobo.

Kyo recuperou sua amizade com Psycl0n depois, mas não voltou à moderação porque odiava Technomage. Em vez disso continuou postando com mais frequência no Firechan com sua userbase própria.

Guerra ainda tentou uma fracassada carreira musical, sob o nome artístico de Mazzini Magnum. Lançou 10 faixas em seu SoundCloud, todas ruins. As rimas são pobres, muitas fora de ritmo; a batida é repetitiva e a voz gravada em baixa qualidade. As faixas em freestyle podem reduzir o QI de quem ouve, cumprindo apenas um objetivo humorístico. Ele ainda tem alguns raps gravados em um canal no YouTube intitulado "El Guajito" , quase todos se exaltando e falando contra o Psy.











Em 16 de outubro de 2016, Emerson esteve nas cidades americanas de Dallas e algum tempo depois Chicago. No final do mês, pouco depois de chegar em Chicago, ele fez live diretamente pelo Facebook em que anunciou sua chegada aos Estados Unidos para pedir asilo político, sob alegação de que estava sendo perseguido pela esquerda e a falsa direita no Brasil, o que surpreendeu seus seguidores. De acordo com sua conta antiga do Facebook, hoje suspensa, ele tinha chegado em Las Vegas em 16 de novembro, alguns dias antes.[48] Lá, ele ficou num hotel caríssimo.

 
Camila e Vanessa num estacionamento.

Em novembro, Psy ficou sabendo que Emerson estava nos EUA e entrou em negação, ficando em looping dizendo que eram montagens e mentiras, demorando três dias para sair desse surto e voltar à realidade. Nessa época, ele estava morando novamente em Curitiba no Condomínio Ideale Residencial com duas irmãs putas: Camila e Vanessa Bathke. Algumas vezes, vídeos com as peripécias de Psy com elas eram publicados no Dogolachan, um dos quais mostra Psy fazendo sexo com uma das duas.[nota 9]

2017: Ataque das Impressoras

 
Psy com a camiseta do Bolsonaro em 2017.

Em março de 2017, Marcelo tentou viajar para Auckland, Nova Zelândia, num voo que teria escala no Chile, no que alega ter sido uma viagem de férias. No entanto, ele não conseguiu chegar ao destino final pois foi impedido de embarcar para lá, e então teve que aproveitar suas férias no país sul-americano. Ele alega, em um áudio de 10 minutos de duração gravado meses depois, que Emerson o teria denunciado à polícia da Nova Zelândia, o que teria causado o transtorno.[49]

No mesmo ano, Psy, Sentafria e Kyo atrelaram o Guerra em blogs no WordPress defendendo o estupro e a pedofilia em seu nome, um dos quais se chamava "O Aiatolá do Nazismo". Kyo também criou contas falsas se passando pelo Guerra no Facebook para atacar feministas e pessoas do movimento negro. Guerra chegou a abrir um B.O. contra Psy e Kyo.  

Após Psy descobrir que Kyo estaria atrelando Technomage, os dois voltaram a brigar. Psy até então via Technomage como um amigo, sem saber que traveco na verdade estava infiltrado no chan. Por causa dessa briga, GOEC, que era como um "guarda-costa" de Psy (sempre defendia o Psy e fazia tudo o que ele mandava), decidiu criar um e-mail chamado "bryan.william.lopesx" no Protonmail, para atrelar Bryan William Lopes (que até então todos acreditavam que era o Kyo) a ameaças terroristas.

 

No Dogolachan, GOEC e Psy hackearam impressoras e fizeram ameaças para diversas empresas em nome de Lola Aronovich. As ameaças, porém, não foram levadas a sério. Não tiveram repercussão na mídia e só obtiveram uma resposta de um cara mandando os dogoleiros se foderem.

Eu já te mandei parar de ficar mandando e-mail para estas bostas, GOEC. Esta é a última vez, cara, na boa, a próxima eu tiro tua vpn da WHITELIST. Já encheu o saco esta merda.

E fale por você. Porque até o último dia da minha vida vai ter duas pessoas que eu vou sempre foder: Dolores e Emerson. De resto. Faça os acordos que você tem que fazer. Mais saiba que aqui você não apita, cara. Na boa, o próximo e-mail que eu ver seu para ABIN ou para a DPF postado aqui eu tiro tuas VPNs da whitelist e você faça o que você quiser. Porque na boa, ninguém aqui vai se foder por tuas attwhorices não. Você foi avisado. O próximo que eu ver te tiro da whitelist. Cara, veja que eu já falei com o cara uma vez. Vocês são testemunhas. Já falei duas vezes. Ele continua. Na boa, este cara fica fazendo estas infantilidades, atraindo atenção de autoridades para cá. Eu vou chutar este cara daqui. Por mim que se foda. Quer brincar de hacker-mor, que vá para a DW. Mas se continuar atraindo a polícia para cá, vai ser chutado. Eu já falei duas vezes com este cara, ele disse que ia parar mas continua. Na boa. O próximo print de e-mail GOEC que eu ver eu tiro a VPN deste cara e ponto final. O engraçado é que o GOEC fala como se o que ele fizesse estivesse fazendo alguma diferença. Sinceramente, qual é a graça de ameaçar os outros usando um e-mail anônimo? Até uma criança deficiente conseguiria fazer isto. Mas ele faz isto relacionando o nome da gente e este recinto, como se tivesse falando em nosso nome. Eu até iria dar moderação para este cara pelos bons serviços de doxing que ele fez. Mas ele queimou tudo, queimou quando trouxe polícia para cá, e continua queimando, mesmo a gente já ter dito para ele parar. Na boa, eu não vou ficar passando a mão na cabeça de retardado não. E se eu receber intimação da DPF e da ABIN eu vou caguetar a VPN deste pau no cu.

—Psy

GOEC, por ser attwhore, começou a ameaçar celebridades, políticos e ativistas, sempre afirmando ser usuário do fórum Dogolachan. Psy passou a ameaçar banir as VPNs do GOEC do Dogolachan se GOEC não parasse de fazer as ameaças citando o Dogolachan. GOEC não parou e teve suas VPNs banidas do chan. Psy ainda ameaçou caguetar as VPNs de GOEC caso a polícia batesse em sua porta por causa dos autismos de GOEC, e, por causa desta ameaça, GOEC se aliou ao Kyo e passou a frequentar o /firechan/ e atrelar o Psy em mercados de drogas da Derp Web e ameaças por e-mail em seu nome. Depois, GOEC e Kyo se aliaram ao Emerson (que estava morando nos Estados Unidos) para destruir o Psy. Emerson criava blogs expondo os crimes de Psy. Uma vez GOEC doxxou a mãe de Psy e suas primas, e o Emerson passou inúmeros trotes para as suas primas.

Kyo aqui, boa sorte ai Psy, um dia eu vejo a minha hora de partir também e pendurar as minhas botas, estou estudando pro Enem, fiquei isento da taxa de inscrição, estou baixando 180GB de conteúdo da Stoodi de graça, estou pensando em fazer Medicina, se eu conseguir me formar, eu mando uns remédios pra você pra turbinar seu cérebro.

Qualquer coisa você pode manter contato comigo pelo e-mail. Quanto ao BabyFace, ok, torço pra você fuder ele, o mesmo vale pro Pedola que me atacou de graça também.

—Kyo

Depois GOEC e Psy voltaram a ser amigos e Kyo parou de tretar com Psy, tentando ser imparcial, ficando de boa com Psy e com Emerson, e nunca banindo nenhum dos dois do Firechan, já que Emerson foi banido do Dogolachan e chamava Psy pra tretar frequentemente no Firechan. Com o tempo, Emerson não aguentava mais a pressão das ameaças que Psy e GOEC faziam (embora ele ainda continuasse chamando Psy pra tretar no Firechan) e passou a insistir para que Kyo banisse Psy do Firechan, o que Kyo não fez. Por causa disso Emerson se voltou contra Kyo, o tendo denunciado para o FBI e feito os federais americanos lurkarem o Firechan.   Veja mais do mesmo em Ataque das impressoras

Em maio, centenas de impressoras nos EUA receberam falsas ameaças de bombas em nome de "Emerson Eduardo Rodrigues Setim", acionando esquadrões antibombas e causando grandes prejuízos em feiras de agricultores. Os channers brasileiros atribuem a autoria das ameaças a Psycl0n e seu bando, que teriam se aproveitado de uma falha técnica nessas impressoras e a usado para encaminharem as ameaças em nome de Emerson em um trote informático. Foi a partir daí que Emerson começou a ter problemas no país, onde tentava reconstruir sua vida, quando começaram a surgir denúncias de outros crimes. Após conseguir o maior feito contra seu rival, Psy se reclusou no Dogola novamente para planejar seu próximo actvm sanctvm.

Depois do ataque das impressoras em maio de 2017, a maior trollagem já vinda de um imageboard brasileiro, Kyo deixou que Psy usasse novamente o /firechan/ como a board reserva do Dogolachan. Psy então tirou temporariamente o Dogolachan do ar e foi para o Firechan junto dos outros dogoleiros para continuar a saga.

 

2018: Ataque da Seringa e segunda prisão, na Operação Bravata

 
Emerson com Rita Ligesky

Após chegar no Brasil dos EUA ao final de setembro de 2017, Emerson começou a usar um site de relacionamentos onde conheceu Rita Hilgemberg Ligesky, 49 anos, uma professora de educação física divorciada da rede pública de ensino com dois filhos policiais e com olhos claros. Eles combinaram de se encontrar em Ponta Grossa. Eles tiveram um bom relacionamento e um caso logo no primeiro dia. Rita convidou Emerson para passar férias com ela no Rio de Janeiro, onde eles passeavam nas praias direto e continuavam tendo relações sexuais.

Em outubro, Emerson conseguiu empregos em empresas de telefonia móvel, porém por curto tempo. Nessa época, Emerson estava sendo atacado por Marcelo e contou a situação para Rita. Segundo Emerson, Rita sugeriu um plano para acabar com Marcelo e lhe apresentou seu sobrinho Cléber Ligieski, policial militar em Curitiba. Ainda segundo Emerson, ele e Cléber marcaram uma pizza na casa de Rita, onde Cléber falou que havia um grupo de extermínio no aquartelamento do portão que poderia acabar com Marcelo (isso estaria registrado em conversas de WhatsApp, as quais Emerson posteriormente denunciaria para o MPF e o GAECO).

 
Psy depois de apanhar do antifa maluco.

Em janeiro de 2018, conforme planejado já antes, o "judeu da seringa" se encontrou com Emerson em Curitiba e eles planejaram atacar Marcelo na rua para lhe dar uma injeção de insulina e provocar um choque anafilático. O ataque ocorreu; no entanto, como o agressor aplicou a insulina no pescoço em vez da barriga, Marcelo sobreviveu e relatou o caso de agressão no Dogolachan. O caso repercutiu no Dogolachan após Lola Aronovich twittar dizendo que Psy havia mentido. Após isso, Cléber Ligieski deu com a língua nos dentes e contou toda a história para Marcelo e para José Ligieski, irmão de Rita e professor de história e espanhol. Eles então armaram uma situação onde tiraram Emerson da casa de Rita uma semana antes do casamento marcado deles. Eles obrigaram Rita a não casar com Emerson por ele ser um anticomunista (e eles serem uma família de comunistas).

Por conta de dezenas de processos judiciais pendentes há anos, além de acusar indivíduos sem provas e virar um dos indivíduos mais odiados no meio político (tanto pela esquerda como pela direita), Emerson decidiu planejar a segunda saída do Brasil.[22] Em 20 de março de 2018, deixou o Brasil e se mudou para a Itália, se instalando em Roma (capital do país).[50] Exatamente um mês depois (20 de abril), deixou Roma e foi para Madri, capital da Espanha[51] (usando a mesma estratégia de pedir asilo que usou nos Estados Unidos).[22] No início, sobreviveu de empregos temporários, como trabalhar em restaurantes espanhóis e ser um limpador de neve em época de inverno espanhol (dezembro a março). Alguns channers o acusaram de aplicar golpes, como pedir 700 dólares para mandar um iPhone novo pelo correio e sumir com o dinheiro,[22] mas Emerson nega isso.

Em 10 de maio de 2018, Psy foi preso de novo. Em um vídeo postado no YouTube, filmado por um comparsa dele no país um dia depois da prisão (dia 11), Emerson aparece num restaurante nas Ilhas Baleares chamado Big Food comemorando a prisão de Marcelo e alegando que ele foi um dos responsáveis pelas denúncias contra seu rival.

 
Anúncio da prisão de Nhonho Psy no Jornal Nacional na noite de 10 de maio de 2018.
 
Banner pedindo a liberdade de Marcelo.

Enquanto Psy estava preso, ameaças foram feitas contra a Universidad Nebrija sob o nome de Emerson.[52] Emerson disse que as ameaças foram feitas por Psy, que teria acesso a celular mesmo dentro da prisão. Ele então denunciou o ocorrido ao MPF[53] e disse que a polícia teria de fato encontrado um aparelho com Marcelo, e esse teria sido o motivo de sua transferência para o Presídio Federal de Segurança Máxima de Campo Grande (má conduta), a mesma penitenciária onde Fernandinho Beira-Mar  cumpre pena.

Marcelo foi condenado a ficar sob Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) por 360 dias. Nesse regime, fica 22 horas por dia dentro da cela, com as outras 2 horas para banho de sol. É o regime mais fodido pesado de todos.[54] Em 12 de junho, o juiz Marcos Josegrei da Silva, da Tribunal Regional Federal da 4ª Região, aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (processo nº 5024425.76.2018.4.04.7000) contra Emerson Eduardo Rodrigues, Gustavo Rizzotto e Marcello Mello, na qual os citados eram acusados por crimes de quadrilha ou bando (associação criminosa), contra o Estatuto da Criança e do Adolescente, por preconceito de raça ou cor, incitação ao crime e contra a ordem pública, ameaças às autoridades judiciárias no processo em andamento e terrorismo. Com isso, os citados pelo MPF nas acusações se tornaram réus condenados pela Justiça. Dos três mencionados, apenas Guerra e Marcelo foram presos (no caso de Guerra, internado) e responderam aos crimes citados, enquanto Emerson passou a ser oficialmente foragido pela Justiça (processo nº 5025463.26.2018.4.04.7000), já que havia deixado o Brasil.[55] No dia 19 de dezembro, sete meses depois de ser preso, foi condenado a 41 anos, 6 meses e 20 dias de prisão pelo juiz federal Marcos Josegrei da Silva, o que muitos consideram sua derrota final. Para piorar, ele ainda foi condenado a pagar 1 milhão de reais para "reparação de danos" e 678 de dias-multa (1 ano e 10 meses).[56] Camila e sua irmã não testemunharam a favor de Marcelo.

Psy foi condenado pelos seguintes crimes, alguns dos quais suspeita-se que nem tenham sido cometidos por ele mas sim por GOEC:

  • Associação criminosa: Por utilizar amplos conhecimentos em informática para associar-se a terceiros na intenção de praticarem crimes no ambiente virtual, como racismo, injúria, calúnia e difamação e incitação à violência, ao estupro, homicídio, lesão corporal e feminicídio;
  • Divulgação de pedofilia: Disponibilizar vídeos e imagens de práticas sexuais envolvendo crianças e adolescentes na internet;
  • Racismo: Cometer atos de racismo no ambiente virtual fazendo uso do anonimato e criar site falso em nome de uma desafeta, publicando em nome dela texto de cunho racista;[nota 10]
  • Apologia ao crime: Aproveitar-se do anonimato para incitar outros usuários a cometer delitos, "sempre com a certeza de que jamais se chegaria a sua verdadeira identidade" e criar site falso em nome de uma desafeta, publicando quatro textos em nome dela incitando os crimes de lesão corporal, estupro, pedofilia e ultraje a culto religioso;[nota 10]
  • Coação no curso do processo: Ameaçar de morte e revelar dados comprometedores do delegado da Polícia Federal (PF) responsável pelas investigações da Operação Intolerância;
  • Terrorismo: Enviar e-mails ameaçadores a um hospital de Brasília (DF), à embaixada dos Estados Unidos no Brasil e a várias universidades.[57][58]

Se não for inocentado, não receber nenhum indulto ou redução de pena e não escapar, só sairá da cadeia em 2048, aos 62 anos (considerando que a pena máxima para qualquer caso no Brasil é de 30 anos, mesmo se a condenação for mais longa).

Dezembro de 2018 a 2021: Vida como presidiário

 
Marcelo no jornal

Em agosto de 2019, Marcelo apareceu, sem advogado, com um pedido de habeas corpus. Seu pedido foi negado.[1]

Alguns meses depois, ele decidiu alegar insanidade como motivo para ser transferido do Presídio Federal de Campo Grande para outra facilidade. Dois peritos foram intimados para fazer um laudo psiquiátrico dele, o que custou um total de 5 mil reais em honorários para a dona Rosita, que prontamente depositou o valor. A defesa de Marcelo alega que ele teria sido anteriormente diagnosticado com TDAH e síndrome de Asperger.[59][60]

Em fevereiro de 2020, surgiram alegações de que um grupo terrorista que apoia a libertação de Marcelo Mello estaria por trás de ameaças de morte contra os 11 juízes do STF no decorrer de 2019. No entanto, isso foi descartado depois e as ameaças foram atribuídas ao Gabinete do Ódio.

Em 18 de fevereiro de 2020, o administrador Chronus da Wikipédia em português criou um artigo sobre o Marcelo . Mas isso depois de outros wikipedistas tentarem o mesmo diversas vezes por anos (principalmente após Marcelo ser preso pela segunda vez em 2018, como se tem registros no Web Archive).[61] Essas tentativas anteriores de criar o artigo foram em vão por conta dos veteranos insistirem que a página não era relevante por ser um esboço (ainda que pudesse ser ampliado futuramente) e sob alegação de que tinha outro artigo que cobria sua curta biografia , o que seria uma grave contradição na própria Wikipédia, que permite que artigos curtos ou com eventos atuais sejam ampliados no decorrer do tempo sem necessidade de votação ou eliminação.[62]

A biografia foi em grande parte copiada daqui e continha mentiras baseadas em notícias sensacionalistas, como:

  • Que ele é incel (apesar de não ser virgem);
  • Que ele é de "extrema-direita" por ter ameaçado pessoas ligadas à esquerda (apesar de também ter feito ameaças contra o pessoal da chamada verdadeira e falsa direita, incluindo a embaixada dos Estados Unidos em Brasília, juntamente a seus terceiros);
  • Que ele é um "sujeito extremamente perigoso" e que todas as ameaças dele eram reais (mesmo as feitas por terceiros);
  • Que agrediu o repórter e o cinegrafista do programa Profissão Repórter da Rede Globo (apesar das imagens mostrarem que a equipe se afastou e o repórter ter dito que ele tentou agredir a equipe);
  • Que foi um grande facilitador de CP (apesar da Polícia Federal ter achado apenas três fotos na operação de 2018);
  • Que os autores do Massacre de Suzano acessavam o Dogolachan (mesmo não havendo provas até hoje desta ligação, visto que os prints que ligam os atiradores ao fórum podem muito bem serem falsos) e
  • Que o imageboard já estava na derp web desde o início (sendo que só foi para a Rede Onion em 2018).

Além disso, o artigo é menor, menos detalhado e sem a grande quantidade de imagens que nós temos (em decorrência das políticas frescas e burocráticas com imagens nos projetos da Wikimedia Foundation).

Para fins de comparação de completude, o nosso artigo usa a palavra "Emerson" 49 vezes, enquanto o deles usa apenas três (uma proporção para 46). Enquanto isso, o artigo sobre o Emerson  não foi criado, apesar de duas tentativas feitas em 2016 e outra em 2020. Os espertalhões da Wikipédia fazem de tudo pra excluir o artigo com alegações de irrelevância, assim como outros artigos biográficos e sobre empresas desconhecidas.[63]

Depois de meses onde qualquer um que tentava editar o artigo era imediatamente revertido, finalmente alguém conseguiu colocar que o envolvimento do Dogolachan com o Massacre de Suzano era apenas uma suspeita e até o momento permanece assim.[64]

 
Alvará de soltura

No dia 14 de abril de 2020, foi postado em chans brasileiros um alvará de soltura de Marcelo datado de três dias antes (11 de abril), emitido pelo juiz federal Ricardo Rachid de Oliveira após ser paga a fiança de R$ 10.000,00. O alvará mostra que ele teria sido solto em Curitiba (PR), o que sugere que ele tinha sido transferido de Campo Grande (MS) após cumprir por um ano o RDD (o mais temido pelos criminosos). A notícia da soltura foi divulgada exclusivamente em chans brasileiros e repercutida posteriormente em outros meios (como a Wikinet), o que supõe que a "mídia do coronavírus" está mais preocupada em dar boas ou más notícias dos ataques da Corona-chan do que repercutir ou confirmar esta tal soltura.[nota 11]

Os channers e internautas brasileiros começaram a questionar a veracidade do alvará de soltura nos dias que se seguiram: eles tentaram achar o texto idêntico disponível na internet, onde aparece o número do processo, mas não conseguiram. Isso reforçava duas suspeitas: a soltura poderia ser verdadeira (mas estava em sigilo) ou simplesmente era falsa.

 
Email não rastreável.

No dia 16, Emerson Rodrigues fez um vídeo dizendo que recebeu um e-mail do seu advogado Eduardo Gogola (que estava no Brasil) afirmando que a tal soltura era verídica. Isso aconteceu após o seu pedido para que acessasse os processos e verificasse a veracidade da soltura, filmando o e-mail em frente ao seu notebook. No e-mail, o advogado diz não ter conseguido acessar os processos por estarem sob segredo judicial, mas afirma que a soltura realmente aconteceu. Emerson lamentou seu pior inimigo ter sido solto e escarniou o judiciário brasileiro,[65] reação bem diferente da que teve quando soube da prisão e condenação de Marcelo em 2018, dando risos histéricos de comemoração em vídeos postados em seu canal antigo (hoje suspenso) na época.

No entanto, no dia 17 de abril, pouco mais de 24 horas depois, Emerson Rodrigues fez outro vídeo dizendo que Marcelo continuava preso, contradizendo as informações que fez no vídeo anterior. Alguns tempo depois, afirmou ter recebido, no dia 18, um e-mail não rastreável enviado por Marcelo ou por algum comparsa anunciando que iria esperar a poeira baixar para que iniciasse uma enorme cruzada contra ele (o que seria o início da vingança contra o desafeto que mora na Espanha, o país do coronavírus). No dia 9 de maio, Emerson postou outro vídeo em que recebeu a informação de que Marcelo estaria sob prisão domiciliar e monitorado pela Polícia Federal, afirmando que Camila Bathke estaria cometendo crimes no lugar dele e que Nando Moura estaria atrelado aos crimes dos dois, contradizendo novamente as informações dos dois vídeos anteriores.

 
Blog da Lola.
 
E-mail da Lola.

Lola Aronovich, ao saber da recente notícia do desafeto que a infernizou por cinco anos, postou em seu blog no dia 15 de maio que havia consultado três de suas advogadas, que concluíram que o alvará de soltura divulgado nos chans e na Wikinet é falso e, portanto, Marcelo continuaria preso. De acordo com uma das advogadas dela, se ele tivesse recebido o alvará, seria solto em setembro de 2020, pois, de acordo com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal de novembro de 2019 (em que se trata a prisão dos condenados na primeira e segunda instâncias), a concessão seria negada por conta do peso da sua condenação (crimes graves e ser reincidente). Na postagem, a blogueira também informou ao mesmo delegado da PF sobre este alvará que concluiu ser falso e registrou ocorrência para investigar o caso, o que sugere que o responsável por divulgar o falso alvará poderá responder à Justiça por falsidade ideológica (falsificação de documento público).[66] De acordo as autoridades da Justiça, quando o habeas corpus é concedido, o alvará de soltura é divulgado ao público e disponibilizado na internet, coisa que não aconteceu neste caso.

No dia 3 de março de 2021, foi publicado no 1500chan que Psy poderia sair golo-golo logo-logo da prisão pois foi absolvido pelo crime de terrorismo e sua pena foi então reduzida para 11 anos de prisão. No dia 5 de março de 2021, Lola Aronovich fez um post em seu blog confirmando a veracidade desta notícia, afirmando ter recebido a notícia, naquela semana, de que a pena de Marcelo havia sido reduzida de 41 para 11 anos de prisão.[67] No dia 11 de maio de 2021, um homem gravou um vídeo dizendo que Psy é inocente e que está preso por culpa de Emerson Eduardo Rodrigues Setim, e que Psy já deveria estar na rua há muito tempo. No dia 23 de julho, a progressão de pena para o regime semiaberto foi negado.[68]

Poderes e habilidades

  • Conhecimentos informáticos e hacking: Tendo cursado Ciência da Computação e aprendido muito por conta própria, Psy tem uma exímia habilidade com tecnologia. Um hacker black hat, já foi capaz de fazer vários ataques cibernéticos, como a invasão do 77chan em 2014 e a falha nas impressoras fax nos EUA em 2017. Segundo Emerson, pessoas que chegaram a ver seus monitores diziam que a quantidade e complexidade dos programas que ele mexia tinham um aspecto "medonho".
  • Riqueza: A família de Psy dispõe de um poder aquisitivo considerável, o que lhe proporcionou uma vida materialmente confortável na infância e juventude, incluindo uma viagem ao Japão e um curso numa universidade de prestígio. Também foi capaz de evitar a prisão várias vezes pagando fiança e bons advogados.
  • Redação: Psy sabe escrever artigos jorges muito bem e de maneira convincente, o que já fez muitos acreditarem que os autores eram realmente as vítimas nas quais ele botava a culpa.

Dados[2]

  • Nome completo: Marcelo Valle Silveira Mello
  • Nascimento: 09/08/1985
  • Mãe: Rosita Moreira Valle
  • Pai: Luiz Fernando Silveira Mello
  • Naturalidade: Brasília - DF
  • Endereço: Condomínio Ideale Residencial, Rua João Alencar Guimarães, 1745, apartamento 603, bloco 3, Campo Comprido, Curitiba - PR
  • CPF: 002.395.011-01

Financiamento

Em março de 2012, Marcelo e Emerson Eduardo Rodrigues foram detidos, acusados de planejar uma chacina de estudantes do curso de ciências sociais da Universidade de Brasília. Na conta de Marcelo havia cerca de 500 mil reais, dinheiro supostamente doado por simpatizantes radicais à causa dele. As investigações, à época, apontaram que o recurso serviria para financiar o atentado. Os 500 mil reais encontrados na conta de Marcelo foram rastreados pela Polícia Federal. Os policiais acreditam que a origem do dinheiro possa vir de doações de pessoas que simpatizam com sua ideologia criminosa. Outra linha de investigação para explicar os 500 mil reais é que Marcelo tenha usado seus conhecimentos avançados em informática para fraudar transações bancárias pela internet.

Galeria

Screenshots

Montagens

Vídeos


Psy abordado pelos jornalistas do Profissão Repórter

Páscoa Feliz brincando no quarto dele

Ameaças de bombas que ele fez em nome do Emerson

Psy conversando com Olavo de Carvalho sobre judeus e Israel (áudio)

Psy diz a palavra "cara" 33 vezes nesse áudio. Em média, 1 vez a cada 3 segundos[69]

Psy em casa


Marcelo se acelerando

Notas

  1. 1,0 1,1 Ash Ketchum é o protagonista do anime Pokémon, conhecido como Satoshi em japonês, e "KetchumA" é uma versão estilizada (hacker) do nome.
  2. Provavelmente uma corrupção de "logo logo", famosa frase dita por Psy ao Profissão Repórter em 2015. Anões que provavelmente queriam zoá-lo espalharam esse meme.
  3. "Candango" é sinônimo de "brasiliense", uma pessoa natural de Brasília, cidade natal de Psy. Os construtores de Brasília eram conhecidos como candangos.
  4. Muito semelhante às acusações de envolvimento do Dogolachan com o Massacre de Suzano, que viriam a ocorrer oito anos depois.
  5. Uma das poucas boas neste blog "Silvio Koerich fake" acertou o que a Rede Globo seria dentro de alguns anos, quando passou a defender pautas esquerdistas e globalistas.
  6. Na época, a palavra doxxing não era conhecida.
  7. 7,0 7,1 7,2 A imprensa brasileira não se interessa em acompanhar os processos judiciais dos criminosos presos (já que demoram) e acompanhar andamento de casos em segredo judicial é crime. Quando os criminosos voltam aos crimes, a imprensa já esqueceu que publicou seus nomes anos atrás. Isso não foi visto como os casos do Mensalão, Lava Jato ou até mesmo casos de assassinatos que geraram repercussão nacional (como o recente caso da morte de Marielle Franco e seu motorista Anderson Rodrigues).
  8. Acreditem se quiser: Emerson e Marcelo foram soltos graças ao indulto presidencial feito no final de 2012 pela então presidente Dilma Rousseff, considerada inimiga pela dupla.
  9. xvideos,/video28236179/rosita_pagou_uma_prostituta_pro_filho_autista_-_marcelo_valle_silveira_mello
  10. 10,0 10,1 Apesar de não ser mencionada por nome, acredita-se que a "desafeta" citada em reportagens seja a Lola Aronovich.
  11. Isso se aplica principalmente à líder Rede Globo, emissora que tentou emparedar Marcelo e virou mera porta-voz da esquerda (numa tentativa de agradá-la ao grupo que sempre combateu em público mas que nos bastidores sempre teve em sua fileira), em favor lacração na TV que ataca cristãos e os costumes, ser contra quem apoia Bolsonaro e os direitistas que não dão amém ao sistema globalista (que ironicamente tem esse nome da emissora). Vale lembrar que a Globo está envolvida em diversos crimes, como as propinas (da FIFA e do Comitê Olímpico Internacional) e manter empresas de fachada no Brasil e exterior com suas contas, etc.

Salsa

  1. 1,0 1,1 HABEAS CORPUS : HC 5033772-50.2019.4.04.0000 5033772-50.2019.4.04.0000
  2. 2,0 2,1 2,2 https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/wp-content/uploads/sites/41/2019/01/1_DENUNCIA1.pdf
  3. https://internetsparaleigos.wordpress.com/2010/05/31/psyclon/
  4. https://www.geledes.org.br/alerta-quem-e-o-brasiliense-responsavel-pelo-site-que-inspirou-ataque-em-suzano/
  5. A história de Marcelo Valle Silveira Mello, mais uma vítima de bullying Blog Prontidão, 25 de março de 2012.
  6. https://adrenaline.com.br/forum/threads/justica-do-df-condena-jovem-acusado-de-racismo-na-internet.272366/#post-4934908
  7. http://br.zone-h.org/mirror/id/3146
  8. http://holococos.sjdr.com.br/sem-categoria/o-pessoal-da-hax0rs-lab-deixou-mais-de/
  9. 9,0 9,1 Preso por racismo tem longo histórico de crimes Veja, 23 de março de 2012
  10. 10,0 10,1 Marcelo Valle Silveira Mello: um racista alimentado pela UnB!
  11. https://internetsparaleigos.files.wordpress.com/2010/05/psytore-no-foro1.jpg
  12. https://www.conjur.com.br/2006-ago-10/acusado_racismo_orkut_apenas_brincou
  13. https://forums.cpanel.net/threads/awstats-vulnerability.35355/page-2
  14. https://trollashinutilidade.blogspot.com/
  15. http://biblioteca.asav.org.br/vinculos/00000b/00000b9e.pdf
  16. https://www.cut.org.br/noticias/preso-pela-policia-federal-autor-de-ataques-a-afropress-f041
  17. http://www.afropress.com/post.asp?id=13827
  18. http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,AA1505710-5598,00-RIXA+COM+AFRICANOS+PODE+SER+CAUSA+DE+INCENDIO+NA+UNB.html
  19. https://web.archive.org/web/20080501143744/http://www.diariotroll.com:80/wordpress/2008/03/23/eu-nao-temo-esquerdistas/
  20. https://archive.li/zrCra
  21. https://web.archive.org/web/20190611082414/https://internetsparaleigos.wordpress.com/2010/05/31/psyclon/
  22. 22,0 22,1 22,2 22,3 22,4 22,5 Sparky Lurker. Emerson Eduardo Rodrigues Setim / Engenheiro Emerson / Capataz Sancto / Engenheiro Mijão / Pedolão - Contos da "redenção" de um ex-capataz sancto nos chans brasileiros. Kiwifarms, 9 de maio de 2019
  23. https://allinrevolt.blogspot.com/2011/06/respeito-para-que-o-movimento-lgbt-e.html
  24. https://archive.li/RfPV5
  25. https://twitter.com/cavaleiro1
  26. https://www.geledes.org.br/alerta-quem-e-o-brasiliense-responsavel-pelo-site-que-inspirou-ataque-em-suzano/
  27. 27,0 27,1 CASO BLOG SILVIO KOERICH - EMERSON EDUARDO RODRIGUES B.O.Animal. 20 de dezembro de 2011
  28. Operação Intolerância prende responsáveis pelo blog Silvio Koerich Polícia Federal, 22 de março de 2012.
  29. https://www.youtube.com/watch?v=wrBMQfj0Bl4
  30. Operação Intolerância prende responsáveis pelo blog Silvio Koerich Polícia Federal, 22 de março de 2012.
  31. https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/brasil/2018/12/ex-aluno-da-unb-denunciava-os-proprios-links-racistas-para-driblar-pol.html
  32. https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2013/02/18/interna_cidadesdf,350223/justica-condena-reu-que-mantinha-site-de-odio-a-negros-nordestinos-e-gays.shtml
  33. 33,0 33,1 https://emersoneduardorodriguesdenuncias.blogspot.com/
  34. https://www.youtube.com/watch?v=ejBB2pMf0S8
  35. https://www.youtube.com/watch?v=8jq8rLAvYis&t=5s
  36. https://archive.is/GZhU5 Fotografias da versão de 2009 do Colinas Vazias (Пустые холмы, ПХ), festival musical russo ao ar livre sem fins lucrativos que acontecia anualmente em junho nos oblasts de Kaluga e Smolensk (perto da fronteira com Belarus).
    As coordenadas são 55°02'48.0"N 35°07'18.0"E e há um documentário sobre o festival, se você quiser tentar procurar o cão sorridente.
  37. Post original no blog Leprosorium
  38. https://vkclub.su/en/gifts/0227/
  39. https://web.archive.org/web/20131228155722/http://dogolachan.org/b/res/58.html
  40. Site ensina passo a passo de como violentar mulheres, Veja, 28 de dezembro de 2016
  41. Acusado de manter site de ódio, universitário garante que é vítima da gangue que faz apologia ao estupro, R7, 5 de agosto de 2015
  42. MPE apura blog com guia do estupro 'testado' na Unesp de Araraquara, G1 28 de julho de 2015
  43. https://revistaforum.com.br/brasil/homem-que-atirou-em-mulher-em-penapolis-anunciou-o-crime-em-chat-diz-lola-aronovich Provavelmente era a Castora, pois a matéria diz que J. é neonazista, e a Castora tem uma tatuagem de símbolo nazista. Além disso, tem um Pastebin dizendo que o nome de J. é Julia.
  44. https://www.youtube.com/watch?v=J0Htj1X30_U
  45. https://web.archive.org/web/20160913191259/https://www.youtube.com/watch?v=6AtYJEwyXBQ
  46. http://archive.li/Hbuxv
  47. https://www.youtube.com/watch?v=7hqI42oskv4
  48. Mudou-se para Las Vegas
  49. Áudio original de Psy, no Chile
  50. Mudou-se para Roma (Itália)
  51. Mudou-se para Madri (Espanha)
  52. Diligencias previas 1070 2019 - Juzgado de Instrucción nº 52 de Madrid,
  53. Denuncia de Emerson ao MPF contra Psy 18 de junho de 2018
  54. Despacho/Decisão de Marcelo, no Presídio Federal de Campo Grande, WebArchive
  55. Robson "Otto" Aguiar. EMERSON EDUARDO RODRIGUES SETIM ESTÁ OFICIALMENTE FORAGIDO DA JUSTIÇA Blogspot.
  56. https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2018/12/19/homem-e-condenado-a-41-anos-de-prisao-por-crimes-como-racismo-terrorismo-e-divulgacao-de-pedofilia-na-internet.ghtml
  57. Oliveira Advogados - é condenado a 41 anos de prisão por crimes como racismo, terrorismo e divulgação de pedofilia na internet Jusbrasil, 26 de janeiro de 2019
  58. https://www.geledes.org.br/alerta-quem-e-o-brasiliense-responsavel-pelo-site-que-inspirou-ataque-em-suzano/
  59. Justiça Federal da 3a Região - Carta Precatória Criminal, sobre as alegações de Marcelo e os peritos.
  60. Preso em MS, acusado de defender terrorismo e estupro, passará por avaliação. MediaMax. 4 de fevereiro de 2020.
  61. Marcelo Valle Silveira Mello Wikipédia, 26 de maio de 2018.
  62. Ver: Wikipédia:Páginas para eliminar/Marcelo Valle Silveira Mello 
  63. Ver: https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Emerson_Eduardo_Rodrigues&action=edit
  64. https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Marcelo_Valle_Silveira_Mello&diff=57933642&oldid=57933519
  65. SOLTARAM O DEMÔNIO : PRESO CONDENADO A 41 ANOS DE PRISÃO NÃO CUMPRE 2 - JUDICIÁRIO BRASILEIRO. YouTube. 16 de abril de 2020.
  66. DOIS ANOS DO MASCU BEM PRESO Escreva Lola no Blogspot, 15 de maio de 2020
  67. https://escrevalolaescreva.blogspot.com/2021/03/pedindo-ajuda-aos-queridos-e-queridas.html
  68. https://odocumento.com.br/trf4-nega-habeas-corpus-de-cracker-condenado-por-racismo-terrorismo-e-disponibilizacao-de-pornografia-infantil/
  69. Transcrição do áudio

Ver também


 

Psycl0n faz parte de nossa série de artigos sobre
chans
Visite o Portal:Chans para mais artigos do gênero.