Patricia Lélis

Patrícia Lélis foto.jpg

Patricia Lélis (nascida em 1994) é uma jornalista (de acordo com a Rede GloboWikipedia's W.svg, a mais notável e influente emissora de TV brasileira), feminista, esquerdalha, petralha, e ex-cancervadora de direita. Acusa um monte de pessoal da direita e da esquerda por falsos crimes e faz parte de uma longa lista de traidores do movimento dos dois lados políticos.

Além de ser uma mentirosa compulsiva (mitomaníaca), era conhecida por mudar de posicionamento o tempo todo, visando sempre irritar o máximo de gente possível tanto da direita como da esquerda. Ela traiu a direita em 2016 ao acusar um famoso deputado-pastor de estrupo, fazendo com que direitistas a repudiassem após a acusação ser comprovada como falsa. Depois foi pra esquerda se aventurando no PSOL e depois no PT, os únicos otários que acreditaram nessa narrativa.

Em 2020, ela aprontou nos Estados Unidos, quando foi presa duas vezes no espaço de dois meses por dar falsa comunicação ao crime de furto.

Há quem diga que alguns passam pano para ela. Por exemplo, a Wikipédia em portuguêsWikipedia's W.svg proibiu o artigo sobre "as verdades" dela, sob alegação de não ser uma "indicação de importância" biográfica,[1][2] (ah, vá!) outra prova que a Wikipédia está sendo esquerdizada (de acordo com direitistas) ou direitizada (de acordo com esquerdistas), enquanto está cada vez mais liberal (direita controlada) e progressista (esquerda chique).

Ela também namorou o Eduardo Bolsonaro por um tempo, mas depois que se separaram e ela foi pra esquerda, ela zombou dele, dizendo que ele tem um "micropênis".

GaleriaEditar

Salsa