Jean Wyllys

Apesar dele ter tentado se justificar depois, essa infeliz declaração marcou a carreira de Jean Wyllys.

Jean Wyllys é um baiano gay conhecido por ter vencido a quinta edição do Big Brother Brasil em 2005 e por ter se tornado um dos políticos mais lacradores e insuportáveis anos depois, tendo exercido o cargo de deputado federal de 2011 a 2019, período em que escreveu mais de 51 projetos de lei.[1] Entre os feitos famosos desta figura, está o cuspe que ele deu em Bolsonaro durante a votação pelo impeachment da Dilma em 2016.

Traição aos eleitoresEditar

Jean Wyllys foi reeleito deputado federal nas eleições brasileiras de 2018 mas, antes de tomar posse em 2019, desistiu do mandato, sendo sua vaga ocupada pelo namorado do Verdevaldo, outro gay do PSOL.[2] O motivo de sua saída seriam ameaças que vinha recebendo desde 2012, em nome de Jair Bolsonaro, Ricardo Wagner e as mais recentes em nome de Emerson Eduardo Rodrigues. Entretanto, o real autor, segundo as investigações, foi Marcelo Valle Silveira Mello, que já estava preso desde 2018.[3][4][5] Emerson afirma que ele possuía um celular na cadeia. No entanto, o estopim pra a saída de Jean do país foram duas lives feitas por Emerson, nas quais o acusava de diversos crimes.

Segundo Jean, ele se sentiu oprimido pelo governo fascista do Bolsonaro, e como, no dia do anúncio, Bolsonaro postou uma mensagem no Twitter com a expressão Grande dia 👍, a extrema esquerda considerou que Bolsonaro estava celebrando o piti de Jean, e não o sucesso que ele teve em alguma reunião internacional.[6] Obviamente, isto fez com que Grande dia 👍 se tornasse o novo símbolo de ódio da extrema direita.

Desde sua renúncia, houve rumores de que Jean havia vendido o mandato para a organização criminosa comandada por Verdevaldo.[7] Estes rumores foram confirmados quando, durante a crise da Vaza Jato, mensagens privadas entre Jean e Verdevaldo foram vazadas, confirmando não só que Jean tinha vendido o mandato,[8] como que Verdevaldo tinha dado o calote,[9] o que motivou a campanha da direita Glenn, paga o Jean, porque ninguém quer que Jean volte ao Brasil.

GaleriaEditar

Salsa