Happy Merchant

Comerciante judeu.jpg

(Le) Happy Merchant (Comerciante Feliz), também conhecido como Jew-bwa-ha-ha.gif, é uma ilustração controversa de um homem barbudo, calvo e narigudo esfregando ou apertando suas mãos e expressando um sorriso sinistro, o que implica um comportamento conspiratório ou manipulador. A ilustração, que surgiu nos anos 2000 e se popularizou na década seguinte, é caracterizada por estereótipos judaicos, incluindo uma quipáWikipedia's W.svg, nariz comprido e barba cheia.

A origem do desenho é desconhecida, mas o registro mais antigo dela é de um site sobre supremacia branca americana em fevereiro de 2001, em que é referido apenas como jew (judeu) com a seguinte legenda: Hymie showing his real side ("Hymie mostrando seu lado real"). O site alega que o desenho foi tirado de um livro ilustrativo em inglês datado de 1275.

Essa ilustração não teve repercussão imediata e passou muitos anos ignorada até 2012, quando alguém passou a postá-la em tópicos de imagens no /pol/ de diversos chans, principalmente o 4chan. Desde então, a imagem é usada como ironia e para espalhar ideologias antissemitas (como negação do HolocaustoWikipedia's W.svg), além de denunciar uma conspiração judaica que controla a economia mundial e a mídia.

Na década de 2010, a ilustração passou a ser usada para acusar judeus de promover feminismo, homossexualidade, imigração, mistura de raças e causar todas as calamidades atuais (exemplo: apoio aos grupos internos para desestabilizar governos que não seguem o globalismo). Ironicamente, apesar dos países árabes serem contra Israel por causa do conflito na Palestina, os antissemitas se recusam a apoiar os palestinos e os árabes, por serem controlados... Por judeus!

Porém, de acordo com o BuzzFeed, a imagem não veio de um livro de 1275, mas sim de uma caricatura racista e antissemita desenhada por um artista com o pseudônimo de A. Wyatt Mann (corruptela de a white man, "um homem branco") que alguns alegam ser o cartunista Nick BougasWikipedia's W.svg (nascido em 1955). O desenho compara o personagem (que mais tarde seria conhecido como "o Comerciante Feliz") e um homem negro respectivamente a uma barata e um rato.

FontesEditar