Alexandre de Moraes

Alexandre, com sua careca e sorriso característicos

Alexandre de Moraes, também conhecido[1] como advogado do PCC e Xandão (São Paulo, 13 de dezembro de 1968), é um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) que já trabalhou como advogado do PCC - Primeiro Comando da Capital. Numa controversa decisão ao final de maio de 2020, mandou a Polícia Federal executar MBAs na casa de vários influenciadores digitais pró-Bolsonaro para investigar o suposto envolvimento deles no "Gabinete do Ódio". Uma das pessoas investigadas foi a ex-feminista Sara Winter, que no dia seguinte fez uma live em frente ao STF xingando o ministro; Alexandre logo pediu a prisão preventiva dela. Além de Sara, os investigados incluem:

Outra decisão autoritária foi mandar prender o jornalista Oswaldo Eustáquio. Oswaldo não se intimidou com o fascista, e, em depoimento à polícia, disse que o apelido do Alexandre era "cabeça da minha piroca".[2]

O autoritarismo de Xandão continua a todo vapor. No momento ele está perseguindo o "jornalista" com gengivite Allan dos Santos sob o pretexto dele defender fake news e propagar ideias "antidemocráticas" (como se criticar a democracia fosse crime). Allan fugiu para os Estados Unidos buscando asilo político a Interpol e não concedeu sua extradição.[3]

Experimente falar um A contra Alexandre que receberá uma visita de seus capangas que lhe ensinarão o significado de "democracia".

GaleriaEditar

YoutubeEditar

4 minutos de puro Xandão!

Salsa

  1. Ele tem outros apelidos, mas como a gente sabe que o STF não respeita a democracia, a gente não vai escrever aqui, apenas postar o link: https://twitter.com/BobjeffHD/status/1318870556356321280
  2. Gazeta do Brasil: https://gazetabrasil.com.br/politica/em-depoimento-de-eustaquio-a-pf-moraes-e-chamado-de-cabeca-da-minha-piroca/
  3. Interpol não inclui Allan dos Santos em lista de procurados. Revista Fórum. 25 de novembro de 2021