Michael Coombs

Revisão de 08h21min de 7 de outubro de 2021 por Saskeh (discussão | contribs) (publish.)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Michael Coombs (n. 1978) é um britânico que foi um editor wiki conhecido por ser um troll que atua na internet desde a década de 2010. Polêmico e apoiador às teorias conspiratórias, ele gasta seu tempo postando online em seu apoio ao anti-semitismo, negação do Holocausto, racismo, islamofobia, neo-nazismo, supremacia branca, sinofobia (anti-chinês) e o genocídio branco (considerado tabu para os seguidores do politicamente correto e da grande mídia influente na Europa e América do Norte).

Foi editor em diversas wikis: na Wikipédia (que foi banido em todas as wikipédiasWikipedia's W.svg por diversas violações das regras), foi sysop no Metapedia (perdeu cargo e foi banido do siteWikipedia's W.svg), editor na RationalWiki (banido do siteWikipedia's W.svg por diversas violações das regras). Ele ficou conhecido na wiki-esfera por ter sido uns dos fundadores e administrador do site wiki alt-right de teoria conspiratória Rightpedia.

No entanto, a RightpediaWikipedia's W.svg foi fechada no final de 2018, após diversas denúncias sobre a controvérsia hospedamento das imagens de crianças palestinas mortas em conflitos na Faixa de Gaza e Cisjordânia em algumas biografias dos políticos israelenses, insinuando que eles teriam sido responsáveis pelas mortes. Apesar das opiniões contra o islamismo, os árabes e a esquerda, ele é frequentemente acusado de trair o movimento por "dividir a direita" inglesa, ao apoiar a causa palestina e devido às defesas que lembram especto de esquerda.

De acordo com seus acusadores, Michael Coombs é talvez o mais famoso por roubo de identidade online, criação de contas falsas, uso de identidades e personificações falsas, o que resulta em suspensões e muitos banimentos nas wikis, redes sociais e em outros sites. Já ameaçou de morte a diversas pessoas (principalmente os editores wikis e nas redes sociais) por não compartilharem seus ideais.

No entanto, ele ganhou notoriedade por suas visões controversas sobre a pedofilia, como escrever que ele se sente sexualmente atraído por "meninas menores de 14 ou 15 anos" e que ele considera isso de alguma forma "normal para homens". Isso o levou a ser uma figura divisiva entre a extrema direita e alguns sites que compartilham sua própria política neonazista e de nacionalismo branco. Com medo de sobrar para eles, seus integrantes o baniram por ser um apologista da pedofilia.

Fontes