Abrir menu principal

Wikinet β

Vulva

Aviso.gif Aviso:
Este artigo trata da vulva de uma forma descritiva, e não contém pornografia. Se você acha que the Internet is for Porn e se sente ofendido que se trate de algo tão importante para a pornografia quanto a genitália feminina através de um artigo que vê apenas o ponto de vista anatômico e funcional, é melhor sair IMEDIATAMENTE deste artigo, e procurar os artigos que tratam deste assunto de uma forma pornográfica. Algumas sugestões são os artigos Full Frontal, Labia, Vanilla, Transclusão e século XIX.


4kids.

Vulva, do latim vulva, que quer dizer buceta, é a parte externa do órgão genital feminino, ou seja, em palavras simples, é o que a mulher tem e que o homem não tem na região entre as pernas, excluindo-se as partes que ficam internas, cuja entrada é a vagina. Outros sinônimos para vulva são pudenda ou, de forma mais prolixa, partes pudendas, e os termos populares xoxota, cona (com homólogos em várias línguas ítalo-ocidentais, como o espanhol coño) e precheca.

Índice

Estrutura

Em posição de repouso, o que se observa da vulva são os pelos púbicos e, caso estes sejam removidos, os grandes lábios (em latim, labia majora). Próximos da vulta estão localizados o monte púbico (em latim, mons pubis ou mons venera, acima) e o períneo (em latim, perineum, abaixo). A animação, abaixo, mostra estas estruturas (clique na imagem):

Abrindo-se os lábios maiores, observam-se outras estruturas, que também fazem parte da vulva. De cima para baixo, estas estruturas são capuz, clitóris, pequenos lábios (em latim, labia minora, que ficam por dentro dos labia majora) e as aberturas da uretra e da vagina (que ficam protegidas duplamente pelos dois pares de labia). A animação, abaixo, mostra estas estruturas (clique na imagem):



Labia majora

Os grandes lábios (em latim, labia majora) são dobras de pele que protegem os órgãos genitais femininos internos, ou seja, para que haja penetração, é preciso primeiro realizar a abertura destes lábios.

Os grandes lábios são flexíveis, e podem ser estimulados através do tato, ou através de estimulos em outras áreas do corpo.

Capuz e clitóris

 
Um clitóris sendo corretamente estimulado.

O capuz é uma região que fica na parte de cima da vulva, dentro do qual se encontra o clitóris. Embriologicamente, o que nos homens vai se desenvolver no prepúcio e no pênis, na mulher dará origem ao capuz e ao clitóris, respectivamente, com exceção que a uretra, que passa pelo pênis, não passa pelo clitóris.

Assim, o clitóris possui as mesmas estruturas internas de nervos que o pênis, e sua função é receber, amplificar e enviar ao cérebro sob a forma de impulsos nervosos qualquer atividade de fricção que ocorra na região da vulva. A estimulação direta do clitóris, através da manipulação digital ou da língua (em termos médicos, cunnilingus) é uma forma muito eficiente de aumentar o prazer do coito.

Existem algumas mulheres cujo clitóris é super-desenvolvido (em termos médicos, clitomegalia), parecendo um pênis em miniatura. Isto não é motivo de preocupação, porém, caso se torne incômodo para a mulher, que pode se preocupar em ser confundida com um hermafrodita, pode ser feita uma correção cirúrgica.

Labia minora

 
Observa-se por esta foto os lábios menores salientes.

Os pequenos lábios (em latim, labia minora) são a última barreira de proteção dos órgãos internos femininos. Estes lábios se localizam dentro dos grandes lábios, e são muito semelhantes em termos fisiológicos.

Algumas mulheres possuem labia minora em tamanho maior que labia majora, isto não é uma anomalia, mas tem um nome técnico, sendo chamados de lábios menores salientes. Nestas mulheres, quando em repouso, os labia minora ficam visíveis.

Hímen

 
O rompimento do hímen costuma vir acompanhado de um pequeno sangramento.

Hímen (em latim, himen) é uma membrana que cobre a entrada da vagina. O hímen é a última barreira que protege a vagina, porém, este possui uma abertura, de forma a permitir a saída do fluido menstrual.

Normalmente, o rompimento do hímen se dá no momento do primeiro ato sexual vaginal da mulher, quando ocorre uma liberação de sangue. Há exceções, porém. Algumas mulheres nascem sem o hímen, outras podem ter seu hímen rompido sem sangramento, e algumas mulheres podem ser penetradas pela vagina sem que haja o rompimento do hímen (o nome médico para isto é hímen persistente ou hímen complacente).

Historicamente, o ato de romper o hímen de uma mulher tinha um significado simbólico muito importante, sendo chamado de defloração, e era feito após o homem tomar posse da mulher. Muitas mulheres, que não sangraram quando perderam a virgindade, foram consideradas adúlteras e promíscuas, muitas vezes por ignorância sobre a anatomia.

Vagina

 
A flexibilidade da vagina pode ser observada nesta imagem.

  Veja mais do mesmo em Vagina
Este artigo não ficaria completo sem que fosse dito algo a respeito da vagina. Como vimos acima, a abertura da vagina fica triplamente protegida, pelos grandes lábios, os pequenos lábios e, enquanto a mulher for virgem, pelo hímen.

A vagina é o canal que permite a saída dos fluidos vaginais, da menstruação e, depois que a mulher engravida, do recém nascido. Pela vagina, entra o pênis masculino, de forma a depositar os espermatozóides em um ponto interno, próximo da entrada do útero, para facilitar a fecundação.

A vagina é extremamente flexível, sendo seu diâmetro normal de cerca de 7 a 8 cm, aumentando para até quase 50 cm, o diâmetro de uma cabeça de um bebê recém nascido.

Ver também


Vulva faz parte da grande série temática da Wikinet sobre putaria