Abrir menu principal

Wikinet β

Pôneis Malditos

Pôneis Malditos é um meme oriundo de uma propaganda de 2011 da picape Nissan Frontier que fez um considerável sucesso na época.

Índice

DescriçãoEditar

No comercial, uma picape atola na lama e seu motorista reclama "Pôneis malditos!". Quando ele abre o motor, se inicia então uma animação 3D de pôneis coloridos com "nojinho" de barro dançando num carrossel e cantando a seguinte musiquinha:

Pônei maldito, pônei maldito, venha com a gente atolar!

Odeio barro, odeio lama! Ui, que nojinho! Não vou sair do lugar!

Um dos pôneis voa em direção ao motorista e lhe diz: "Te quiero!". O narrador então pergunta se é preferível uma picape com cavalos ou com pôneis (referindo-se aos cavalos, unidades de potência do motor).

Na versão postada no YouTube, um dos pôneis fala com o público depois que a propaganda acaba, assumindo uma entidade diabólica e dizendo que se o espectador não compartilhar o vídeo com dez pessoas, ele sofrerá a maldição do pônei, que lhe fará ficar o resto da vida com a música na cabeça. Provavelmente foi por causa disso que o vídeo fez tanto sucesso.

ContinuaçãoEditar

Em 2012, a Nissan lançou outra propaganda com os pôneis para anunciar seu novo carro. Nela, os pôneis atiram flechas de cupido contra o motorista de mais um carro atolado enquanto cantam:

Pôneis, somos os pôneis, somos malditos, lá lá lá lá!

Temos nojinho de barro, nojinho de lama, lá lá lá lá!

Dois dos pôneis arqueiros voam em direção ao motorista, um deles dizendo "Te quiero!" e o outro "Mucho!.

Na versão para o YouTube, um dos pôneis aparece depois que a propaganda acaba e avisa o espectador para não clicar no botão vermelho no centro da tela, dizendo ser muito perigoso. Ele desaparece da tela, mas após algum tempo volta e admite que estava persuadindo o espectador a clicar e depois diz que clicará por ele. Ele então assume uma entidade demoníaca que diz hipnotizar o espectador, afirmando que ele ficará para siempre com a música no cérebro.

VídeosEditar

OriginalEditar

ContinuaçãoEditar