Interlíngua

A interlíngua, também conhecida como eurolíngua, é uma língua internacional criada por Alexander Gode, que se caracteriza por ser uma versão (ainda mais) eurocentrista do Esperanto, compartilhando palavras de línguas oficiais da União Europeia, ou pelo menos as línguas dos aliados da Frente Ocidental, que são o francês, inglês, espanhol, italiano e português, havendo algumas influências do alemão e do russo.

A ideia da Interlíngua se deu logo depois da Primeira Guerra Mundial como forma de resolver os problemas de comunicação entre os países europeus, mas a língua só começou a ser desenvolvida pra valer mesmo em 1924 por Alexander Gode.

O idioma só ficou pronto em 1951, bem no começo da Guerra Fria, tendo como objetivo ser uma língua neutra e auxiliar para o aprendizado de outras línguas, mas ela foi meio que deixada de lado por causa do crescente aumento do inglês e do russo durante a Guerra Fria.

Hoje em dia, ainda existe sim um instituto para a interlíngua, apesar dela não ser tão falada e possuir menos falantes que o Esperanto. Ainda assim, é uma língua que não desiste de existir e continua sendo falada mesmo que por muitas poucas pessoas, apesar de hoje em dia qualquer um poder aprender uma língua pela internet e poder aprender idiomas e usar tradutores com facilidade.

Uma das principais críticas à interlíngua está nos fatos dela ser uma língua eurocentrista ocidental, de não possuir materiais introdutórios fáceis e o de possuir muitos poucos falantes nos dias atuais, além de ser considerada como se fosse a "língua oficial" caso houvesse um plano de criar uma Nação Europeia no que hoje seria a União Europeia.

Links externosEditar