Globalismo

Globalismo é a ideologia que defende que, já que a Terra não é plana, mas sim um globo, e que o que algum filho da puta faz lá na puta que pariu, tipo um cara na Tailândia que joga lixo no mar, afeta todos os outros habitantes no globo, então a forma de corrigir isto é acabar com todas as fronteiras e todos os estados nacionais, e criar um governo mundial.

Globalismo é uma forma de fascismo, e é, obviamente, uma merda.

O Globalismo se baseia na ideia de que o Globo é frágil, então é preciso um governo mundial totalitário para salvar o planeta.

Interessante que foi a globalização que incentivou a esquerda mundial a criar o globalismo. Globalização é exatamente o oposto do globalismo: enquanto a globalização se baseia nos princípios da direita, de livre mercado, liberdade de expressão, independência entre os poderes e colocar o indivíduo acima do estado, o globalismo é um sistema de esquerda, que prega a submissão do indivíduo ao estado, acabando com sua liberdade, tanto pessoal quanto econômica.[1][2]

A agenda globalista resume tudo aquilo que existe de mais escroto e assassino na esquerda:

  1. Estado totalitário socialista (mistura elementos do comunismo e do fascismo)[3]
  2. Aborto [4]
  3. Combate a fantasmas, tipo aquecimento global [5]
  4. Pedofilia [6]
  5. Tolerância com o islamismo [7]
  6. Consumo de drogas [8]

Um dos expoentes mundiais do globalismo, possivelmente quem pretende se tornar ditador do mundo, é o zilionário húngaro George Soros. Dentre seus fantoches, estão vários idiotas úteis, como a Greta Soros e vários políticos brasileiros.

Ver tambémEditar

Salsa