Brenda Horncohen

Brenda Horncohen
Brendatrap.jpg
Brenda dando aquele sorriso sedutor.
Nome realFailus Teodoro da Silva
ApelidosBrenda Apocalipse, Brenda Facão de Rua(após apanhar Brenda Faquinha de Pão), Brenda Paradise, Fairuz Brandon Horncohen, Freddy Krueger, Mestre dos Sonhos
Nascimento21/05/1974 (46 anos)
OcupaçãoProstituta
ResidênciaGoiatuba - Goiás
Conhecido(a) porSer um traveco que perturba as pessoas pelo WhatsApp
Outros linksFacebook
Instagram
Ambox plus.png Este artigo precisa de mais Informações
Você pode ajudar a Wikinet adicionando mais Informações.

Brenda Horncohen é um traveco das ruas de Goiânia conhecido em chans como Goianinha. Anuncia seus programas em redes sociais e um dos seus clientes foi Adriel Luiz de Farias Santos, que inclusive no dia do aniversário dele ficou floodando com mensagem de feliz aniversário durante 24 horas.

BiografiaEditar

Conhecida por seus apelidos "Freddie Kruger" e "Mestre dos Sonhos", tem como nome verdadeiro Failus Teodoro da Silva. É um travesti de 46 anos que fica preenchendo sua solidão no zap. Ela invade o privado de garotos com 20 anos para assediar, mandar nudes sem permissão e fotos editadas em Photoshop.

Na ItáliaEditar

Em 2006, quando ainda era um homem gay, foi acusada de roubar um banco, ficou presa um ano e fugiu para a Itália através de uma cafetina. Um travesti que pagou sua passagem e seu silicone industrial muito mal colocado, que esvazia quando alguém aperta. Lá ela foi obrigada a se prostituir pela cafetina até conseguir pagar a dívida da passagem e do silicone, e depois que pagou foi morar com um marroquino traficante. Nisso caiu no vício do pó e o marroquino deu uma surra nela por não pagar a dívida e ela como vingança o denunciou para as autoridades italianas, que em agradecimento deram um visto de permanência para ela. Nenhuma outra cafetina queria ela por que é mitomaníaca e ficava inventando histórias mentirosas sobre as outras trans, constantemente apanhando por isso. Ela não conseguia muitos clientes por se parecer mais com uma gárgula de igreja medieval e somente africanos pobres e orientais a queriam. De tanto ser obrigada a se prostituir para negros, ela virou racista e vive atacando africanos pelo WhatsApp. Ela comia na caridade junto com sua amiga trans Catarina, roubando o alimento dos pobres para usar o dinheiro para sustentar seu vício. Além disso, também seguiu o exemplo da cafetina que a levou para a Itália e levou algumas pessoas pra lá, dizendo que cobraria apenas um cordão de ouro; chegando lá, no entanto, obrigava-as a se prostituir. Depois disso, ela contraiu HIV e toxoplasmose, sendo obrigada a se unir com uma advogada porta de cadeia que se chama Debora Piazza, famosa na Itália por ganhar dinheiro às custas de travestis, que conseguiu um auxílio-doença para ela. Em troca, Brenda teve que entrar na cadeia levando coisas na barriga para os presos clientes da advogada, com isso acabou perdendo o baço, um rim e desenvolveu AIDS. Ela ficou um ano internada numa clínica de reabilitação aleijada, ficando três meses em coma e quatro meses cega, perdendo cabelos, dentes e unhas. Por isso o governo da Itália decidiu devolvê-la para o Brasil, já que estava se tornando um gasto para o estado.

De volta ao BrasilEditar

Chegando ao Brasil, ela inventou mais uma das suas mentiras e resolveu falar que é judia; aprendeu coisas sobre o mundo hebraico pelo YouTube e saiu por aí dizendo que é milionária. Adotou o sobrenome Horncohen dizendo que é de origem judia mas esse sobrenome não existe. Usava o nome de Brenda Paradise na Itália e fazia shows como Brenda Apocalipse. Diz que é bióloga, agrônoma e pecuarista, por isso tem DDD do interior do Goiás, mas ela mora em Goiatuba, cidade próxima a Itumbiara e vive com auxílio-doença que gasta todo em cocaína para cheirar. O resto do tempo gasta matando a solidão no WhatsApp. Recentemente, saiu dizendo por aí que é uma profetisa do judaísmo, e que tem a missão de reescrever o talmude, por isso é conhecida em sinagogas como "A Sábia".

GaleriaEditar