Karl Popper

Revisão de 01h39min de 10 de novembro de 2020 por MesopotamianSFR (discussão | contribs) (Criou página com 'Karl Popper foi um (((filósofo austríaco))), pai do neopositivismo e avó do neoateísmo e criador da falseabilidade, que ficou conhecido pelas suas tentativas de refutar o...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Karl Popper foi um (((filósofo austríaco))), pai do neopositivismo e avó do neoateísmo e criador da falseabilidade, que ficou conhecido pelas suas tentativas de refutar o marxismo e de considerar o marxismo assim como toda a filosofia como sendo uma pseudociência, depois dele se arrepender de ser um militante marxista e virar um tio do pavê austríaco bem reaça e neoliberal.

Nascido em uma família de alta classe judia na Áustria onde concluiu a sua graduação na universidade de Viena, e depois, por causa do Nazismo, migrou para a Nova Zelândia e depois para a Inglaterra onde virou redator e formulador do método científico na London School of Economics.

Popper foi membro ativo do Partido Comunista da Áustria, mas quando questionou os líderes do partido sobre a morte de vários colegas em uma manifestação, ele obteve a resposta de que foram necessárias para se realizar a revolução, o que fez o mesmo ficar com muito mimimi e, a partir daí, começou a "questionar" a ideologia marxista. Com o tempo, Popper buscou refogar Marxismo e tornou-se um liberalóide. Em 1947, Popper fundava com Friedrich Hayek, Milton Friedman, Ludwig von Mises e outros a Sociedade Mont Pèlerin para defender o Liberalismo clássico, no espírito do Sociedade aberta.

Popper ficou conhecido pelo método da falseabilidade, também conhecido como popperismo, que consiste em tudo deve ser falseado para ser ciência, e tudo que não é falseado não é ciência ou é pseudociência, o mesmo fez isso com o Marxismo, apontando o mesmo em ser uma pseudociência, logo, toda a filosofia e toda a sociologia são pseudociências, o que é algo muito defendido nos dias atuais por tipos como Pirulla, Átila Iamarino, Bibi Bailas e Daniel Foschetti Gontijo.

Uma das principais críticas a falseabilidade está ao fato de tudo ter que ser falseado, e nada poder ser provado como verdade e o fato de confundir muito na definição do que é ciência e do que é pseudociência. Logo, recebeu várias críticas, tais como para algo ser ciência basta ver os argumentos assim como que existe uma diferença entre as ciências naturais, ciências humanas, ciências da natureza e ciências extranaturais (extraciência), diferença que não é aceita pela maioria dos cientistas e pela comunidade científica devido ao neopositivismo popperiano e ao popperismo ter virado hegemônico na mesma. Assim como o culto ao método científico.

Um golpe na vida do Popper foi o Paul Feyerabend com o Anarquismo Epistemológico, cujo era um grande amigo do Popper e depois virou o pior inimigo da ciência, defendendo que a ciência devia ser livre de métodos e que o método científico era como uma religião / ideologia na ciência, Feyerabend também criticou a comunidade científica por ela ser como se fosse uma seita e por ela meio que ditar o que de deve ser feito na ciência e o que não se deve ser feito, considerando as extraciências e a sobrenaturalidade como sendo plausíveis e fora das ciências naturais. Feyerabend é considerado como uma consequência negativa do trabalho do Popper, mesmo Feyerabend não sendo tão conhecido assim.